Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

Uma trupe como outra qualquer

João Gonçalves 8 Jul 14

Ontem, num telejornal, passou uma peça cujo tema era "600 individualidades apoiam António Costa". As "individualidades" seriam fatalmente da "cultura" e não fazem a coisa por menos: "A Cultura apoia António Costa". Ou seja, aquelas almas tomam-se pela "cultura" toda e, atenta a pinderiquice em que tudo é e se reforçou nessa matéria nos derradeiros tempos, não vem mal ao mundo que o suponham. Assim, de repente, avistei duas ex-ministras, uma da dita "cultura" e a outra da "educação", que representam dois monumentos vivos da inutilidade dos respectivos exercícios políticos por conta de um executivo socialista. Também topei o dr. Lacão que talvez bem espremido prodigalize uma "personalidade da cultura" ao nível de um Acácio do século XXI. Ou a Vasconcelos do cacilheiro Trafaria cuja desmesura das suas "criações" é o contraponto perfeito da pequenez rançosa da maior parte desta gente. Até reparei numa pessoa que, ainda há dois anos, pretendia do então ministro da tutela nada mais nada menos que a escolhesse para dirigir um canal da RTP. Mas a "vedeta" presente, para as televisões, era um empresário que manifestou de viva voz o seu acrisolado afecto a Costa. Não é um empresário qualquer. Faz parte da administração de um grupo de comunicação social que ainda agora despediu colectivamente 140 pessoas. Ao apodar Costa de membro da "liga dos campeões" e um "homem de valores", em que "liga" e em que "valores" o empresário estaria a pensar? O resto interessa pouco. São dos mesmos que estão persistentemente no poder, à porta do poder ou do proto-poder, qualquer que ele seja, babujando facilidades, oportunidades e, de novo, poder. Costa, que não é parvo, pediu-lhes que espalhassem a boa nova edificada na sua extraordinária pessoa e prometeu-lhes um ministério que, sucessivamente depois de 2000, pelo menos cinco (5) ministros e ministras do seu partido ajudaram a destruir. Ou seja, percebeu que aquela trupe, ensimesmada e "lisboeta" no mau sentido do termo, não lhe serve rigorosamente para nada.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor