Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

Tirar o caso a limpo

João Gonçalves 12 Jul 14

 

«O público ingénuo, já que vai tarde ou cedo pagar o custo desta lamentável embrulhada, gostava de conhecer, indivíduo a indivíduo, quem andou metido na longa e perversa relação do Banco Espírito Santo e do Grupo Espírito Santo (e dos seus representantes) com o Estado, que o puseram na presente miséria. Não é pedir muito. É só pedir que a longa irresponsabilidade em que se viveu durante mais de 30 anos seja exposta e punidos os seus principais promotores. Os portugueses gostariam com certeza de saber as linhas com que os coseram (e bem) e deitar a mão à gola de quem andou a mandar neles sem sombra de legitimidade ou vergonha. Calculo as dificuldades desse trabalho. Mas, difícil ou não, não devemos continuar sem ele. Ainda por cima, a famigerada “promiscuidade” do Banco Espírito Santo e do Grupo Espírito Santo não se ficava pelo Estado e, calculo, poucas vezes tinha um carácter formal. Na maior parte dos casos assentava numa intimidade “social” (almocinhos, jantarinhos, férias por aqui e por ali), em que se estabelecia a confiança, necessária aos “favores” que os parceiros se prestavam e às manobras em que colaboravam. O sentimento de impunidade que cobria estes suavíssimos costumes não prometia nada de bom e era uma maneira quase clandestina de governar o país. As dívidas do Grupo Espírito Santo e a queda do valor do BES não passam das consequências naturais de trinta e tal anos de arbitrariedade escondida, em que tudo era literalmente permitido. Esperemos que desta vez se tire o caso a limpo.»

 

Vasco Pulido Valente, Público

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor