Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

IMPROVÁVEIS E PERIGOSOS

João Gonçalves 13 Jul 08

Sarkozy promoveu duas inutilidades quase simultaneamente. Pela enésima vez, desta vez em Paris, juntaram-se o chefe do governo israelita em exercício e o senhor que supostamente manda na Palestina. Agora é que sim. Agora é que não. É só esperar mais uns dias. Depois, reuniu a Europa com meia África e chamou-lhe "união para o Mediterrâneo". A presença do israelita foi suficiente para este "sucesso" não ter tido direito a "foto de família". Durão Barroso, com a sua habitual desfaçatez, até falou num "estaleiro" não sei de quê mas deve ser, seguramente, de qualquer coisa que lhe interessa. Sócrates esteve lá e deixou aos jornalistas a "cartilha" aprendida como ministro do ambiente e como recente "presidente em exercício" da Europa. Apenas vulgaridades num mundo improvável governado por tanta gente improvável. E perigosa.

TEMPO REAL

João Gonçalves 8 Dez 07

Uns quantos portuguesinhos foram manifestar-se para a Expo contra a Inglaterra e a favor de Mugabe, o "libertador". Também há rapaziada pró Líbia, com umas bandeirinhas verdes e uns cachecóis "à Arafat". Estes parvalhões mereciam ser despejados, de um helicóptero, em pleno Darfur, por exemplo, para se "manifestarem" e verem o que é bom. Em tempo real.

IGUAIS?

João Gonçalves 8 Dez 07


«Entre iguais»? Qual é a bitola do senhor engenheiro? Até Durão Barroso conseguiu ser um bocadinho menos retórico no seu habitual e branco "bruxelense". Ao equiparar ditadores, entre o primitivo e o sofisticado, a dirigentes europeus, apesar de tudo, livremente escolhidos pelo "povo", Sócrates coloca-se de costas perante a imensa indignidade que é a vida da maioria da população africana. A Europa não está a dialogar com gente de bem. E fica mal a Sócrates este deslumbramento adolescente pelas "cimeiras", pelos "tratados" e pelos "acordos" para uma nota de rodapé na história. Ninguém na Europa lhe agradece o frete - o Portugal ultramarino está morto e enterrado e jaz simbolicamente nas outrora belas baías de Luanda e de Lourenço Marques - e África ignora-o pura e simplesmente. Nada ficará "melhor" depois desta "cimeira", como ele imprudentemente insinuou. Não há nenhuma alma caridosa que lhe explique porquê?

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor