Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

Premonitório

João Gonçalves 25 Set 22

 

3D00862B-B1A1-4C10-954E-E80FAFE48ADE.jpeg

Um momento da história bem conhecido, desta vez contado pelo outro lado, do qual falei oportunamente, na revista "Ler", quando o livro saiu. Todavia, descontando o passado do narrador, o bom do livro (que é de génio) é prover-nos com um narrador que é, afinal, o homem médio contemporâneo. Não, não somos todos nazis disfarçados de bons chefes de famílias numerosas ou monoparentais. O extremismo dominante agora é outro, como se apreende lendo nomeadamente "A democracia no seu momento apocalíptico", de Manuel Maria Carrilho, a ser lançado na próxima quarta-feira em Lisboa. É o extremismo de centro que trivializou distinções e liquidou a intransigência libertadora, com a rápida ascensão do pior individualismo societário em todos os níveis da actividade humana, a do indivíduo e a colectiva. Tudo se dilui na multidão indiferenciada de homens médios para quem tudo, salvo as funções vitais como comer ou evacuar, é facultativo porque ilimitado. O narrador foi um convicto abjecto, mas converteu-se a uma "aurae mediocritas" que fez durar a sociedade contemporânea sem grandes oscilações até à pandemia e a esta guerra. Dificilmente Littell escreverá outra coisa assim. Tão premonitória quanto "ahistórica". A vida anda a imitar demasiado a arte. Não se é bom. 

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • O apartidário

    Por falar em discursos inconsequentes. No discurso...

  • marão

    INDUÇÃO CULTURA TUGA Gritem, esfolem-se, sofram e ...

  • O apartidário

    " A política vive num estado constante de conformi...

  • Anónimo

    Não vale a pena.

  • passante

    > acabaram as ideologiasSe acabassem não eram m...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor