Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

O carteio

João Gonçalves 4 Dez 14

 

Na semana passada, a propósito de uma primeira carta, defendi que o "procedimento" talvez não fosse mau para desencarcerar de vez a opinião pública portuguesa de "convicções indesmentíveis" venham elas de onde vierem. Qual Laclos, Sócrates insiste no carteio. Desta vez é mais acutilantemente subtil. Parece que não apreciou a blindagem retórica, em nome de coisas como (e cito-o) «as instituições estão a funcionar» ou «deixem a justiça funcionar», perpetrada pelo seu próprio partido durante o último fim de semana na FIl. Ou pela maioria da opinião que se publica e se faz ver e ouvir que, de uma maneira geral, é oriunda da "política" no poder ou na oposição: «o "sistema" vive da cobardia dos políticos, da cumplicidade de alguns jornalistas; do cinismo das faculdades e dos professores de Direito e do desprezo que as pessoas decentes têm por tudo isto.» Aos poucos Sócrates vai-nos "falando" do cárcere como Mme. de Merteuil através de Laclos: "je puis dire que je suis mon ouvrage". Esperemos pela próxima.

3 comentários

De josé sequeira a 04.12.2014 às 22:24

Parece um náufrago a tentar manter-se à tona. Acho que JS ainda não percebeu que, tirando meia dúzia de apaniguados e outra meia dúzia de gajos que o odeiam, já quase toda a gente o esqueceu, até o PS higienicamente também o faz. Pode apodrecer em Évora que ninguém liga. A coisa durou mesmo muito pouco. É a vida, como disse em tempos o António de Oliveira (Guterres).

De Marquês Barão a 05.12.2014 às 11:12

Pensa que pode continuar a dar cartas. Faz lembrar um ditador dos antigos, mais do que a cair do pedestal a mergulhar num penoso ridículo.

De fado alexandrino a 05.12.2014 às 14:51

O post parece aduzir um certo fascínio pelo animal feroz agora crismado de 44.
Para se perceber onde está o detido convêm ser do povinho ou (eu não sou) misturar-se com o dito na Linha de Sintra, Metro ou Carris.
E esto muito sabiamente já o julgou.
Será que o 44 não se recorda do que aconteceu ao Carlos Cruz?
Se se recordar saberá que, seja qual for o resultado com cartas, telegramas, SMS ou toda a tralha que invente, terminou.
Kaput.
Next.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor