Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

A figura de corpo presente

João Gonçalves 20 Jan 14

 

Na semana em que vários segmentos da população recomeçam a receber os seus salários e pensões em escudos (embora sob a forma de euros), as "fontes" governativas decerto não deixarão de salientar diariamente os valores das taxas de juro da dívida, o novo "13 de Maio" que passa para 17 e o crescente esplendor das grandes negociatas e do financismo que o dr. Passos, recandidato a presidente do PSD, assegura ao país como desígnio milenar de grande visionário. Isto é, empobrecer a classe média "remediada", no activo ou em casa, que passa a pagar mais pelo que consome (uma vez que recebe menos) e enriquecer - por via de uma praxis anti social-democrata oportunamente denunciada na autocrítica de Vítor Gaspar - o que se move na invisibilidade não escrutinável das transacções "de" mercado. O que, segundo a sua magnífica cabecinha, fará de Portugal exclusivamente um país de "empresas" e de bancos virados "para fora" - porque não é com certeza com os mortos-vivos domésticos que elas e eles podem contar para sobreviver - e com as funções de soberania e de dignidade públicas reduzidas a uma mera caricatura. Para que o desígnio não falhe, o dr. Passos necessitaria de ter como candidato a Belém um homem timorato, uma espécie de supra Doutor Cavaco pós-Julho de 2013, em pior. Daí a ênfase colocada no "perfil" a tão nobre função ornamental na sua "moção" recheada de neo-barrosismo. Quem estará, pois, disponível para fazer esta figura anunciada e ridícula de corpo presente?

1 comentário

De Fernando Ferreira a 20.01.2014 às 19:08

Caríssimo João, excluído Marcelo da jogatina presidencialesca, restariam Durão Barroso e Santana Lopes: não fosse o primeiro recandidato natural à sua própria sucessão bruxeleira na UE ou, em alternativa, na NATO, e o segundo não estivesse feliz e contente no Largo de São Roque como milagreiro-mor dos pobrezinhos.
Sobra, portanto, como candidato presidencial governista em 2015 o incrível, o inefável, o inoxidável, o iridescente, o maravilhoso, o mirífico, o surpreendente, o transcendente, o transversal, numa palavra o irrevogável Portas-O-Paulo que já começou a abrir o caminho para a coligação férrea todo-o-terreno (europeias, legislativas e presidenciais) no mais recente congresso dos seus amigalhaços e protegidos.
A alternativa? Candidatemos a Belém a Dra. Maria Manuela Dias Ferreira Leite!!!

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • O apartidário

    Por falar em discursos inconsequentes. No discurso...

  • marão

    INDUÇÃO CULTURA TUGA Gritem, esfolem-se, sofram e ...

  • O apartidário

    " A política vive num estado constante de conformi...

  • Anónimo

    Não vale a pena.

  • passante

    > acabaram as ideologiasSe acabassem não eram m...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor