Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

O LEÃO FERIDO

João Gonçalves 19 Jul 08


A minha primeira "recordação" do Major Valentim Loureiro é da Avenida dos Aliados, no Porto. Era a véspera da 1ª volta das eleições presidenciais de 1986. Soares encerrava ali a campanha com um comício. Não falou. Estava afónico. Por ele falaram Maria Barroso e o Major. A imagem é inesquecível. Valentim Loureiro berrava o mais que podia com duas bandeirinhas do PSD, uma em cada mão. O desfecho é conhecido. Passaram mais de vinte anos. Pelo caminho, Loureiro foi tudo o que quis e que o deixaram ser. Da bola às Câmaras, dos cargos "institucionais" aos simbólicos, o Major defendeu sempre as suas "causas" com estrondo e vigor. Ficou célebre a rábula dos electrodomésticos em troca de votos. Apareceu ao lado do poder, independentemente da cor, e não consta que tivesse sido sacudido. Só Marques Mendes lhe fez a "desfeita" de o não querer. Mesmo assim, sozinho, ganhou. Agora caiu do pedestal em que o regime o tinha colocado. Valentim Loureiro tem uma "biografia" que se confunde com o "chico-espertismo" que domina a sociedade portuguesa desde os tempos das antigas colónias. O regime deu-lhe a mão e ele deu a mão ao regime. A peripécia judicial ainda não terminou por causa dos recursos. Todavia, a sua simples existência e as conclusões de uma 1ª instância já determinaram a "queda" deste falso anjo. É altura de o regime arranjar o seu privativo parque jurássico no qual caibam os seus leões e as suas pombas. Valentim é, goste-se ou não dele, um leão. Está ferido mas não está morto.

10 comentários

De Carlos Medina Ribeiro a 19.07.2008 às 15:33

Há algum tempo, um indivíduo ligado à investigação criminal dizia que, quando um inocente é acusado de um crime, normalmente revolta-se e “esperneia”.

Mas, quando se trata de alguém que se sente culpado, faz um sorriso maroto e pergunta:
«Conseguem provar?».

Lê-se, hoje, no “JN”:
«Valentim Loureiro (…) mostrou-se satisfeito por não se ter provado o crime de corrupção de que era acusado».

De Anónimo a 19.07.2008 às 16:07

Não se provou porque as provas (as escutas) foram feitas ilegalmente. O Major limitou-se a passar entre os pingos da chuva.

De Anónimo a 19.07.2008 às 16:08

lembro-me dele a importar batatas. recordo a programação â portuguesa dessa e desta ocasião.um comuna foi a uma aldeia que conheço e viu montes de desejados tubérculos que as produtoras não conseguiam vender. nem se admirou quando uma mulherzinha lhe disse «leve! leve! que a marrã já não as quere»
PQP

radical livre

De Anónimo a 19.07.2008 às 16:50

Subscrevo este post e acrescento que não obstante todos os possíveis males causados pelo major, chateiam-me muito mais todos os incompetentes bem intencionados, todos os imbecis, independentemente de o cargo e a função, ser alta ou baixa, todos os fazedores da maré legislativa e burocrática, nacional e local que entope, emperra, submerge o país, todos os fiscais e exactores que, sempre com a boca cheia de aumento de productividade e competitividade, estrangulam a economia e matam o futuro. Esses é que são a verdadeira chatice.

De Anónimo a 19.07.2008 às 19:09

Um bom retrato da categoria do regime.
Da cultura partidária do regime.
Do poruguês manhoso, com pouca escola, mas que triunfa.
Com direito a ter lugar num quadro tipo painéis de Nuno Gonçalves.
"Os figurões do regime"
Bravo

De Anónimo a 20.07.2008 às 01:11

Não foi este senhor que foi expulso do exército nos idos anos 60 quando era sargento, por andar a fazer contrabando de bens alimentares pertencentes às forças armadas? E que, depois do 25 de Abril foi promovido a major com sendo mais uma vítima do anterior regime? Figurões destes promovidos a Leões, jamais!

De Anónimo a 20.07.2008 às 01:45

E já agora,visto que tem passado tanto tempo e tanto teclado a dizer tanto mal deste nefando "regime",ao qual se devem todos os males e desgraças que imaginar se possam,não se importaria de perder um minutinho ou dois para explicar aos curiosos o que propõe em substituição? Precisamos todos de saber urgentemente que novo regime ou que nova "coisa" ràpidamente nos transformará num país dinâmico,moderno,justo,rico,civilizado,etc. Não guarde para si egoisticamente os seus segredos,dr.Gonçalves! Ilumine-nos e seguramente o seguiremos nesses radiosos caminhos espezinhando este abominável "regime" que nos é imposto, para o Futuro que nos proporá. Aguardamos ansiosamente.

De Anónimo a 20.07.2008 às 03:59

LEÃO? NÃO SERÁ ANTES HIENA?

De Anónimo a 20.07.2008 às 22:56

Quando alguém diz, aos berros, "Não se metam comigo!", está tudo dito.

De Anónimo a 21.07.2008 às 09:53

Anónimo da 1:45.
Não será proventura o "regime" que está mal, mas sim os seus intervenientes que delapidam diariamente o erário público com negociatas em proveito próprio. Estes que conseguem fugir às malhas da lei, quando aprovam códigos à medida para não serem apanhados. Roubam os contribuintes diariamente e ainda acha que devemos manter o "status"?

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor