Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

A CULPA É DO MEXIA?

João Gonçalves 6 Abr 10


Não aprecio muito conversas de mercearia. Acontece que as notícias em torno das remunerações de António Mexia, que preside ao emporio EDP, incomodam. Pelo menos incomodam-me a mim. A EDP supostamente presta um serviço público para além de outras coisas a que mais recentemente se dedicou. E esse serviço público depende do carregar em interruptores, ligar fichas e aparelhos de todo o género e feitio a essas fichas, em suma, é público porque não se pode passar sem a electricidade. Público também é porque é "oferecido" em regime monopolista por essa EDP e porque se parte do princípio que ninguém, de repente, decide "desligar-se" e regressar tranquilamente à noite do mundo. Pelo contrário - e essa é a fortuna espiritual de Mexia e derivados - toda a gente adora estar ligado a qualquer coisa a todo o tempo e desde a mais tenra e estúpida idade. Mexia preside, pois, a isto que é a EDP e isto entende que presidir-lhe vale muito dinheiro. Um país não cresce nivelando-se por baixo mas muito menos cresce - quando nele tanta falta faz que cresça - repetindo actos financeiramente pornográficos de que, por acaso agora Mexia e amanhã outro Mexia qualquer, meia dúzia de pessoas ditas "geniais" são beneficiárias. Na GALP é a mesma coisa e dos bancos nem vale a pena falar a não ser para uma simples perguntinha. Teria sido necessário um PEC visceralmente destruidor da classe média se não fosse o dinheiro que o Estado (dinheiro dos contribuintes) enterrou na falsa salvação de coisas como o BPN e o BPP ou que continua a enterrar na RTP? O "sistema", que é o regime, segura-se porque tem na base um povo manso, tendencialmente cornudo e sexualmente passivo mesmo quando julga que está por cima, que tudo aceita desde que lhe dêem bola fresca todos os dias. A culpa é do Mexia?

20 comentários

De Anónimo a 06.04.2010 às 18:53

No BPP, no BPN....e tambem na RTP, por exemplo. Vamos ver se Passos Coelho continua, agora que já é secretário geral, a defender a privatização da RTP como forma de acabar com as sucessivas injecções de dinheiro por parte do estado na empresa.

De Belzebu Catita a 06.04.2010 às 19:00

Um povo manso... Normalmente só os padres é que são atirados do telhado da Sé - mas, seja, se quiserem atirar algum gestor público lá de cima, para os cães arrastarem depois os seus restos pela cidade - não seja por mim: avante!

De Anónimo a 06.04.2010 às 19:26

É estranho que milhões de consumidores tenham visto o PM anunciar na AR (provavelmente ele nega) que acabaria o aluguer do contador e que as companhias tenham convertido apenas o nome da taxa, que continua a pagar-se sem que ninguém diga uma palavra. Um só mês dessas taxas é provavelmente muito superior a esta remuneração.

De De nihilo nihil a 06.04.2010 às 19:51

Duas observações. Afinal os ataques a Sócrates não são cíclicos por alguma razão e provavelmente com ela. Este país está a ser assaltado mesmo à nossa frente.

De Nuno Oliveira a 06.04.2010 às 20:03

Caro João,

Este povinho não é manso. É estúpido. Não compreenderam ainda que no bem estar geral está o bem estar individual. É egoísta. Atrasado. Anti cívico. Preguiçoso.

De Anónimo a 06.04.2010 às 20:31

"é público porque não se pode passar sem a electricidade."

Pode-se passar sem comer?

lucklucky

De Anónimo a 06.04.2010 às 21:14

E há coisas estranhas, para não lhe chamar outro nome, neste mundo da modernidade, como lhe chama Sócrates. É o caso das eólicas não serem desligadas, quando a rede já está saturada, havendo necessidade de pedir a Espanha que nos deixe "aliviar" os excedentes para a sua rede, naturalmente, de borla. O que interessa à EDP é que as suas máquinas facturem o máximo, independentemente das necessidades internas, mesmo que sejam os utentes nacionais a pagar a oferta.
De tal modo que numa só noite de muito vento a energia que se esvaíu desta forma foi equivalente à produção anual da solar do MARL durante um ano! Ora esta central a maior central solar urbana, custou 31 milhões de euros.
Enfim, o Portugal do PEC... e das grandezas.

De Anónimo a 06.04.2010 às 21:45

Roubar aos pobres e coitados porque acendem a luz, para dar aos ricos porque ultrapassam os objectivos é muito mais antigo que a electricidade.

De Anónimo a 06.04.2010 às 22:13

País que podia ser grande, mas que tem um povo de merda!

De Anónimo a 06.04.2010 às 23:08

e é mandado ou mandato? :)

Comentar post

Pág. 1/2

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor