Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

«O HORROR À DECÊNCIA É DOS INDECENTES»

João Gonçalves 13 Nov 09


«Como professor na universidade, sempre que tenho conhecimento de que um aluno meu veio do C[olégio] M[ilitar], posso testemunhar o aprumo, o à vontade, a auto-confiança e o profissionalismo com que está numa aula. Tudo isto, em flagrante contraste com os colegas, especialmente os mais betinhos. Além disso, como os alunos são tratados por igual, têm um número (que vem antes do nome), andam vestidos com farda e os filhos de pais ricos não se distinguem dos filhos de pais pobres. Também por isso, o convívio democrático hierarquizado é a regra. Ainda bem. O contraste é gritante com o que se passa nas nossas escolas. E a anarquia, quase geral em que vive o ensino secundário, tem horror ao Colégio Militar, obviamente. Aliás, a verdade é mais funda: a anarquia quase geral da nossa sociedade tem horror à instituição militar. Uma instituição organizada, como a militar, que cultiva os valores da honra, da camaradagem, da disciplina e do dever para com a pátria, não pode ser bem vista pela sociedade actual. A nossa vida colectiva -a civil - privilegia o oportunismo, habituou-se aos casos de corrupção (com ou sem fundamento), tem uma imprensa virada para o escândalo e uma televisão com novelas que são difusoras da falta valores e da ausência dos bons costumes. O Colégio Militar poderá acabar mas as razões estão na nossa sociedade e não dentro dos muros do Colégio. O horror à decência é dos indecentes.»

Luís Campos e Cunha, Público

7 comentários

De Anónimo a 13.11.2009 às 21:34

Como é que um homem que,escrevendo isto e aparentando portanto ser decente, aceitou integrar um governo numa conjuntura de domínio da indecência ?

De MFA a 13.11.2009 às 21:34

"Uma instituição organizada, como a militar, que cultiva os valores da honra, da camaradagem, da disciplina e do dever para com a pátria, não pode ser bem vista pela sociedade actual."

Mas alguma vez a instituição militar portuguesa pós 25 de Abril cultiva esses valores?

De radical livre a 13.11.2009 às 21:51

a actual republiqueta socialista dos "chicago bóis" devia mudar a capital para a porcalhota.
os contribuinte andam com depressões de por os cabelos em pé.
o mundo também é bipolar (polos N e S)

De hajapachorra a 13.11.2009 às 21:53

O senhor tem razão e a minha simpatia pelo nojo que sente pelos socretinismo, mas escreve muito mal, mesmo muito mal. E a desculpa de ser economista não serve. O JL César das Neves não escreve assim.

De Anónimo a 14.11.2009 às 01:06

A instituição militar, embora não sendo o que era antes do 25A, está a anos luz da gente que os governa, diferença que se acentuou nesta legislatura. As notícias dos últimos dias, engavetadas meses sem uma razão lógica, a menos que a justiça também esteja posta em sentido, dão uma trágica ideia do ponto a que isto chegou. O facto de estarmos na Europa e integrados na sua União, sem que daqui venha um sério aviso, ainda torna a coisa mais grave. Será que a UE não consegue estabelecer um mínimo de decência aos seus estados membros?

De Anónimo a 14.11.2009 às 14:14

Os do avental (PS+PSD+BE) bem querem acabar com o Colégio Militar e tal como nos tempos do parvóide Guterres, mandar a nossa tropa estudar para Espanha. É o estafado plano iberista para comemorar 1910. Uns tiros bem ferrados não faziam mal algum. É uma questão de tempo.

De Anónimo a 15.11.2009 às 15:08

Embora deteste tropa e igualitarismo subserviente, pois tive que granar mais de um ano da coisa, tenho que concordar com o articulista.

Mal por mal, é preferível haver disciplina, pois um grande número de humanóides não sabe crescer e viver em liberdade. E esta é uma verdade eterna...

PC

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor