Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

O CONGRESSO

João Gonçalves 8 Abr 11


Em Matosinhos, decorre mais um congresso de Sócrates, para Sócrates e sobre Sócrates. Os delegados são de Sócrates, a moção é de Sócrates, as "ideias" são de Sócrates, a mesa do congresso é a clonagem servil de Sócrates. Noutro congresso (o da foto), o respectivo líder berrou que não podia existir a menor confusão entre ele e o partido (e a comunicação social). Porque o líder, o partido e a propaganda eram uma e a mesma coisa. Também era socialista, apesar do hífen. E apreciava bunkers. Onde acabou, aliás.

Adenda: Como é que um homem lúcido e realista como Henrique Neto aceita sentar-se em frente a uma câmara de tv com uma tonta irresponsável e pernóstica como Ana Gomes?

Adenda2: «Now I'm trying to figure out, Mr Socrates... (if you're reading this)... did you lie to me, or did you just not know how bad the situation really was? Did you deceive, or were you delusional? Or were you just putting a brave face for the TV cameras?»

34 comentários

De Gallião Pequeno a 09.04.2011 às 09:06

Exactamente, é o nacional socialismo, perdão, o socialismo nacional.
Vislumbrei muito fugazmente as âncoras da TVI, não fosse apanhado por uma virose mais resistente e destruidora, quando não sou surpreendido pelo cheio-de-sono do Mmettello, o insistente aritmético das contas públicas. Pode dizer-se que é a cereja no topo do bolo ou a mosca na sopa, depende de um ponto de vista menos ou mais lúcido.

De floribundus a 09.04.2011 às 11:10

ENCONTRO MAGNO DAS PIRANHAS

Matosinhos merecia gente de mais qualidade

De Hermitage a 09.04.2011 às 11:22

DEIXEM O ARTISTA CONTINUAR

Que os portugueses tenham a presciência de manter Sócrates no poder.

É preciso levar isto ainda mais ao fundo e exterminar de vez estes embustes de desgoverno começado por Soares, Guterres e agora o artista dos saltos mortais sem rede.

Foram eles que aqui nos trouxeram pela palavra mágica socialismo.

Talentosos, na detecção do que querem os Portugueses: pouco trabalho, bom sol, bom vinho, belos portos/benfica, boas festas populares, boa conversa no adro, um espanto perante gajos que falam bem, vestem bem, uma raiva aos capitalistas, uma maravilha trabalhar para o estado com contrato eterno, uma coisa vigorosa esta de fechar e levantar o braço em saudação à PS.

Portugal deseja isto, adora viver assim, em fila nas paragens dos autocarros, a comer ao balcão uma de passarinhos fritos, uma mini-sagres e uma bica, adora o abono de família, a prestação para ir a torremolinos, a rodoviária para chegar à caparica, o passeio em fato de treino ao shopping, a travessia da ponte com o artista a suar.

Para os portugas isto é o máximo.

Tanto se lhes dá ter um cabrão como ter um estadista como PM.

Quero é cá o meu.

E por isso aqui chegámos.

Ser governados por lacões, mendonças, linos, pelos silvas, pelos teixeiras que nem contabilistas seriam num país a sério, é igual para os portugas.

São portugas e pronto.

De onde veio o artista dos saltos mortais, da sua indigência profissional, dos sarilhos em que andou metido, nos freeports nebulosos, nos aterros das covas da beira clarinhos como água, nos diplomas forjados, do seu retrato psicológico de extremos, da sua dependência do poder, dos amigos privados a quem abre a porta de negócios públicos, do seu pacovismo perante os banqueiros, da sua imagem que tresanda a artificio, a make-up de feira da ladra, dos seus truques ensaisticos pró parolo ver na tv, o portuga não quer saber.

Olha-se para Matosinhos e lá estão eles bem representados.

Uma amostra dos 40 000 mil que há dezasseis anos vivem do Estado, alguns que já estão acompanhados dos filhos e sobrinhos, também agradecidos ao artista, gente que ali está a louvar o seu deus, como louvava o salazar se voltasse.

Que os portugueses conservem o artista dos salto mortais mais um tempinho.

Pode ser que os antibióticos do FMI já não cheguem para manter o "socialismo" e que desapareça.

Mas pf, ainda não é a hora do gajo sair, um pouco mais de massacre para o portuga sentir melhor e mais fundo.

De Bmonteiro a 09.04.2011 às 12:02

Charlie Chaplin,
que falta nos está a fazer.
Para com o sempre-em-pé do congresso de ontem do PS,
nos fazer uma versão do seu grande filme sobre um génio austríaco da Alemanha dos anos 30/40/XX.

De Anónimo a 09.04.2011 às 12:34

... 'Ao menos', o socialista-adolfo ainda teve de se esforçar e correr riscos, teve de dar um golpe no 'partido', derrotar uma outra facção interna, mandar assassinar um antigo e poderoso líder com fama feita nas trincheiras da I Guerra, usar tortura e cordas de piano, usar facas mesmo longas e mesmo afiadas. Aqui não; pinto-de-sousa tudo dominou (com dossierszinhos catitas) em puro ambiente mole de mole cobardia e fominha.
Cada congresso tem a sua própria identidade: o CDS junta betinhos de camisa às riscas - que nesse fim-de-semana podem prescindir da gravata, mas os trabalhos ou insultos seguem de maneira ordeira e recatada. O PCP - sem sobressaltos na sucessão - reúne velhos operários (ou tipos incaracterísticos que apenas aparentam pertencer ao operariado), e, nos comícios, pontuais jovens barbudos de gorra negra e estrela vermelha (elas, com deliberada ornamentação pilosa nos sovacos). O BE faz tudo na estética moderna e no 'design' esquerdalho de quem vive lunaticamente do Estado e não tem de fazer lógica. O PSD junta tipos e tipas de todos os lados; a elegância de senhoras-bem de Lisboa e a fralda-da-camisa de autarcas de lugares afamados como As Caldas ou Minde - entre arrotos e revoadas Chanel nº5, entre intervenções sensatas e comunicações ébrias de gravata-ao-lado. O Nacional-PS de ontem demonstrou uniformidade e a rigidez dos bem ensinados e dependentes. A 'electrizante' atmosfera (citação da Lacona-Criatura, Deus tenha piedade de nós...) cresceu molemente aos urros e murros do Kerido-Líder - que parlapatou mentiras e bolsou ameaças durante hora-e-meia. No fim, e atingindo o paroxismo mais patético "todos estavam como ele, mas mesmo todos". Na mesa, Costa, César e a Velha-edite sorriam das superiores graças lançadas pelo líder com inteligência aguda e finura de espírito. Almeida Santos - que devia movimentar-se num sarcófago volante de humidade controlada - não nos desiludiu com as suas prestações e as suas declarações. Enfim, um primor.

Ass.: Besta Imunda

De Gallião Pequeno a 09.04.2011 às 13:38

Aquele aglomerado de subservientes mais parece um congresso de porteiras.

De Anónimo a 09.04.2011 às 14:10

Onde o "Querido Líder" se inspirou, no seu discurso:

http://youtu.be/hD5Mez9covQ

("Vor uns liegt Deutschland, in uns marschiert Deutschland und hinter uns kommt Deutschland!")

mm

De Isabel a 09.04.2011 às 14:44

Um dia se perguntará, sobre estes, o que sempre se pergunta sobre os da foto: como foi possível? Até lá, é o vómito e até o "patrocinador" do Pedroso aí vem para ajudar(?).
Quanto à adenda: of course he can't read it!!!

De JMMJ a 09.04.2011 às 14:53

REAPARECEU O PATETA ALEGRE!O MIÚDO QUE CRAVAVA PREGOS NUMA TÁBUA COM A TOLA...E COM A PROFUNDIDADE DISCURSIVA A QUE NOS HABITUOU.BEM HAJA!

De JMMJ a 09.04.2011 às 15:06

PATROCINADOR OU INSTRUTOR DO PEDROSO?E A ANINHA GOMES,CANTADA PELOS SEUS DOTES DE PITONISA E INEGUALÁVEL BELDADE,QUAL BOTA DA TROPA DEPOIS DE 20 RECRUTAS!PARA ALÉM DE EM - BAIXA - TRIZ DESTE PAÍS (?).

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor