Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

O CASO PEREIRA

João Gonçalves 10 Set 08

Rui Pereira, o MAI, lembrou-se ontem de comparar uns tiros numa esquadra de Portimão com o assassinato de Lee Oswald. Como a vítima de Portimão, também Oswald, o alegado atirador de Dallas contra Kennedy, foi atingido quando estava rodeado de polícias. Pereira não dá sequer para uma personagem de ficção de Norman Mailer. Sócrates devia reflectir sobre o "caso Pereira", a abelhinha Maia do seu governo. Ganhe ou perca em 2009, este governo deve manter-se até Novembro do próximo ano. Como é que ele o aguenta até lá? Como é que ele se aguenta? Como é que nós o aguentamos?

VIDE COR MEUM

João Gonçalves 10 Set 08




E pensando di lei
Mi sopragiunse uno soave sonno
Ego dominus tuus
Vide cor tuum
E d'esto core ardendo
Cor tuum
(chorus: Lei paventosa)
Umilente pascea.
Appreso gir lo ne vedea piangendo.
La letizia si convertia
In amarissimo pianto
Io sono in pace
Cor meum
Io sono in pace
Vide cor meum.

Tags

O COSTA DA CÂMARA

João Gonçalves 10 Set 08


Helena Roseta - que se tinha portado bem aquando das eleições intercalares em Lisboa - acabou por ser metida no bolso esquerdo do dr. António Costa, o mesmo onde ele já tinha enfiado o "justiceiro" Sá Fernandes. Tudo em troca de umas ilusões de mando. Costa, que não é burro, percebeu que vai chegar ao fim do mandato sem obra. Para continuar, precisa que a esquerda camarária não o incomode. Distribuiu, por isso e para alegria de todos, cenouras. Falta Ruben de Carvalho que é um osso mais duro de roer. Entre a hipótese Costa e a hipótese, digamos, Fernando Seara (que vai à "festa do Avante" e dá pelouros ao PC em Sintra), as coisas podem complicar-se. Costa sabe muito. Parece o António Silva da CML.

Foto: Kaos

TODOS

João Gonçalves 10 Set 08

«O esvaziamento, cada vez mais acentuado, das variantes clássicas debilita as possibilidades do jogo democrático. E o cenário fixo de um partido sem antagonista, perpetuado no poder por inexistência de repertórios opostos, com encenações negociadas consoante as situações - vai corroendo, letalmente, o regime. E atinge todos os partidos. Todos.»

Baptista-Bastos, Diário de Notícias

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor