Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

A MESA DE NEGOCIAÇÕES

João Gonçalves 12 Jun 08


Pela boca de Sócrates, no Parlamento, ficámos a saber o que é um governo "responsável" que manda num "Estado vulnerável". Segundo ele, é o governo que "negoceia", o que está "quase" a mostrar o que é a "autoridade" e que "sentiu" a vulnerabilidade do Estado. Ora acontece que, até ao momento, cada vez que o governo "negoceia" e "quase" que mostra a sua "autoridade", a outra parte ganha. Tudo. Como o governo, nos termos da constituição, é o máximo representante da administração pública, isto é, do Estado, vulnerável ou não, o Estado perde. Quando o Estado perde, das duas uma: ou corta na despesa ou aumenta a receita. O governo "responsável" da "esquerda moderna" é, pois, aquele que coloca sempre o contribuinte, de cócoras, a servir de mesa de negociações.

VIVER HABITUALMENTE

João Gonçalves 12 Jun 08


Os camionistas e os pequenos e médios empresários da camionagem meteram a viola no saco. A GALP aumentou em um cêntimo a gasolina. Bruxelas obriga a aumentar as portagens nas pontes de Lisboa. O sr. Scolari só fica até ao fim do mês e, se soubesse o que sabe hoje, nem ficava. A dra. Manuela nunca mais foi vista. Sócrates vai, à tarde, vangloriar-se do país de vitelos e de "sócios da selecção" que dirige. Salazar chamaria a isto viver habitualmente.

O EXEMPLO

João Gonçalves 12 Jun 08

O "camarada" Zapatero meteu vinte e cinco mil polícias na rua por causa dos respectivos camionistas. Na Espanha, dá-se e leva-se com facilidade. Foi sempre assim. Todavia, há muito que Zapatero perdeu a batalha da economia. Tem a inflação a berrar e a produtividade nas lonas. A coisa é mais profunda do que os camiões parados fazem supor. E, sobretudo, não tem eleições pela frente. É fácil o expediente. Perdido por cem, perdido por vinte e cinco mil. Não se aconselha, por isso, o exemplo.

VOCÊ E A TV

João Gonçalves 12 Jun 08

Os "jornalistas" que as televisões mandaram para as filas de espera por combustível, perguntaram indistintamente aos incautos como é que estavam ali em vez de assistirem ao jogo da selecção. Como se fosse uma obrigação nacional assistir a tal coisa. Em que barraca é que estes "jornalistas" tiraram os cursos?

Nota: A galáxia SIC passou o dia - a esta hora, cerca das 24h 30, ainda está - a lançar o pânico junto dos espectadores. Tudo, nas boquinhas dos jornalistas do dr. Balsemão, se agiganta. Quem aterrar de repente em Portugal pode pensar que se está a viver uma Bastilha no Carregado. Temos pena, mas não está.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor