Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

DÓI MENOS

João Gonçalves 3 Mai 08


Paulo Marcelo teve uma epifania com esta frase de Ferreira Leite: «ninguém olha para mim a pensar que eu minto e muitas pessoas olham para o eng. Sócrates com a certeza de que ele lhes mente.» Sucede que as pessoas, em geral, apreciam que lhes mintam. Na cama, no governo, no hospital, na escola, no emprego, na televisão, nos jornais, nos partidos. Praticamente toda a gente prefere ser enganada. Dói menos.

«O BOM PASTOR»

João Gonçalves 3 Mai 08

Esta posta do Filipe vai - pode ir - para a gente da "direita" doméstica que anda "aparvalhada" com o sr. Obama e a sua "mudança" prometida. Deus abençoe o bom pastor.

Tags

OS MESMOS

João Gonçalves 3 Mai 08


Morais Sarmento, figura "incontornável" do PSD, foi ao programa Diga Lá Excelência explicar o seu apoio a Ferreira Leite. Recordou que foi dos primeiros a secundar a fuga de Barroso para Bruxelas e, naturalmente, recusou-se a aceitar esse "gesto patriótico" como o "acto fundador" da presente trapalhada. Apesar de não morrer de amores por Santana Lopes, "aceitou" ficar no governo por "serviço". Mais tarde, presume-se que tomado pelo mesmo espírito, berrou o que pôde por Santana, primeiro num congresso surrealista em Barcelos e, depois, na campanha eleitoral. Antes, como é óbvio, havia sancionado o seu nome como o sucessor natural de Barroso, no partido e em São Bento, embora, disse, nunca tivesse grandes dúvidas de que não ia longe. Só Ferreira Leite e o seu "pensamento", segundo Sarmento, dão agora garantias para uma candidatura de "rigor" a primeiro-ministro. Ele também não - deduzi - porque é um "emotivo" (sic) como Menezes o qual, justamente por isso, não servia. Por este andar, a parte mais interessante - e humanamente mais repugnante - desta "campanha alegre" consistirá na "demarcação" que novos e velhos "notáveis" irão fazer em relação a Santana Lopes. Em 2004, "empurraram-no" com método para a frente apenas para se manterem à tona. Em 2008, são eles que exibem a dra. Manuela, a nova"ungida", pelas secções. Os mesmos.

Tags

A MENTIRA DA VERDADE

João Gonçalves 3 Mai 08


O Público, em papel, revela um estudo do Instituto de Ciências Sociais acerca da sexualidade dos portugueses. Tal estudo faz, aliás, "manchete": setenta por cento dos ouvidos consideram "erradas" as relações homossexuais. Enquanto que, por exemplo, em França oitenta por cento dos jovens franceses inquiridos num estudo semelhante não topam nada de "errado" nas ditas relações, por cá os nossos "jovens" - em percentagens superiores a cinquenta por cento - vêem na coisa motivos para séria desaprovação. Depois, dos inquiridos, apenas menos de um por cento "assume" ser adepto da modalidade e nem dois por cento se afirmam "bissexuais". A socióloga responsável pelo estudo conclui que "Portugal ainda é um país homofóbico" e que existe, entre nós, uma "masculinidade homofóbica" - seja lá o que isto for - já que parece haver uma ténue, mas maior, "tolerância" em relação às lésbicas do que aos "samesexers" homens e aos "cornos" heterossexuais. Como diria o Dr. House, everybody lies. E, tipicamente em relação à sexualidade, toda a gente mente com mais dentes. Na antiguidade clássica, em Roma ou na Grécia, ninguém se lembraria de considerar "errada" a relação entre um homem - podia até dar-se o caso de ser o imperador - e um jovem efebo ou entre o "mestre" e o seu pupilo. Seria seguramente uma infâmia perguntar a César se desdenhava relacionar-se com jovens do mesmo sexo ou a Calpurnia se não apreciava ou deixava de apreciar os seios de uma "adjunta". Entre pessoas civilizadas, havia coisas que pura e simplesmente não se discutiam. A obra de Gibbon, por exemplo, conta bem como era. Nada disto, porém, retira à opção "samesexer" o seu carácter minoritário. Por consequência, não tenho a mesma certeza da socióloga quanto a classificar-nos como uma sociedade homofóbica. É da chamada "natureza das coisas" que assim seja e não vem mal ao mundo por ser assim. Ninguém - mesmo muitos dos mentirosos que responderam ao inquérito - deixa de fazer o que lhe der na gana por "afirmar" isto ou aquilo ou por a religião "mandar" não fazer isto ou aquilo. Gore Vidal escreveu que "a maior parte das pessoas é uma mistura de impulsos, quando não de práticas, e aquilo que cada um faz com um parceiro voluntário não tem a menor relevância social ou cósmica." A sexualidade não se exibe nem se "declara". Isso deve ficar para os "machos latinos" e para a "maricagem" associativa.

DEIXAR ENTRAR A REALIDADE

João Gonçalves 3 Mai 08

O relator do parecer até é "próximo" do partido do senhor engenheiro. É bom - para isso é que servem - que sejam os amigos a introduzir um módico de bom senso e de realidade nas cabeças deslumbradas pela propaganda. Não é, porém, seguro que elas deixem entrar a realidade.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor