Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

O INTÉRPRETE AUTÊNTICO

João Gonçalves 10 Jan 08

Na conferência de imprensa sobre o novo aeroporto internacional de Lisboa (nem uma palavra sobre a Portela), Sócrates definiu para a posteridade o que é que Lino quis dizer com o famoso "jamais" num almoço-debate em tempos não muito recuados. Lino escutou em silêncio, com cara de personagem de Gil Vicente, e foi mandado aos telejornais explicar-se em directo e em diferido. O 1º ministro é quem prodigaliza a interpretação autêntica das palavras dos ministros - à falta de realizar a sua - e à míngua de Menezes conseguir interpretar o que quer que seja. O PS não tem sorte com rios, pontes e aeroportos. Guterres começou a cair quando, tragicamente, ruiu uma ponte. Sócrates dá sinais de confusão no momento do anúncio de um aeroporto e da construção de mais uma ponte. E a estação do metro do Terreiro de Paço cheira demasiado a maresia. Qualquer coisa está a meter água. Imprevista, mas água.

A "ÉTICA DA RESPONSABILIDADE"

João Gonçalves 10 Jan 08


Depois desta decisão, o que é que este homem continua a fazer no governo? A "ética da responsabilidade" só serve para evitar referendos? Jamais, lembram-se? Jamais...

A CARLA DELE

João Gonçalves 10 Jan 08



Mitterrand não gostava de homens sem segredos. Construiu uma carreira presidencial monárquica, de catorze anos, omitindo, quase até ao fim, como verdadeiros "segredos de Estado", uma filha "ilegítima", várias amantes e ligações de profunda amizade com antigos colaboracionistas. Nem por isso Mitterrand deixou de ser o monarca republicano que foi. Sarkozy é o oposto disto. Aprecia requintadamente a vulgaridade. Sabe que gerir uma nação, nestes tempos presentes, exige a exibição das mistificações e das fraquezas, e não a sua ocultação. A sociedade de hoje vive bem sem a "política", ao contrário de Mitterrand que, mesmo entre portas, só fazia política. Por isso a forma de Sarkozy se mostrar ao mundo é necessariamente diferente da do seu ilustre antecessor. Ninguém se escandaliza por o chefe de Estado da França ter trocado de mulher em seis meses, optando por uma ersatz da primeira, devidamente revista, correcta e aumentada. Bruni, antes de Sarkozy, já tinha tirado o fôlego a eminências tão diversas como Jagger ou Bernard Henri-Lévy que não conseguiu escrever uma linha enquanto namorou com a cantora. Provavelmente Bruni fará a Sarkozy o mesmo que fez aos outros o que apenas acelerará a habitual agitação do presidente. Pendant que ça dure...

PRIMEIROS E SEGUNDOS

João Gonçalves 10 Jan 08

O dr. Menezes, presidente da Câmara de Gaia e, consta, líder do PSD, ficou contente como uma criança que já sabe contar até dez por ter sido "primeiros" a defender a bosta da ratificação parlamentar do "tratado de Lisboa". "Vocês foram segundos", disse o ladino autarca para murmurar qualquer coisa ao PS. Não tratem dele a tempo, não.

LICENÇA PARA MANDAR

João Gonçalves 10 Jan 08

Vara pediu à nova da administração da CGD uma licença sem vencimento para poder ir para o BCP, caso a lista do dr. Santos Ferreira, onde ele é segundo, "passe". Vara é - independentemente de todas as circunstâncias ocorrentes, para utilizar um termo caro ao Doutor Salazar - funcionário da Caixa desde os tempos do balcão de Mogadouro, altura em que era apenas o senhor Vara. Ou seja, por aqui não vale a pena "bater-lhe". A questão é sempre a outra que é a mesma, como diria Séneca.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor