Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

UMA PERGUNTA

João Gonçalves 12 Mar 06

À excepção do dr. Marques Mendes, de meia dúzia de intriguistas profissionais e de rameiras políticas de corredor, a quem é que interessa o congresso do PSD?

ESTILOS RADICAIS

João Gonçalves 12 Mar 06

Os acasos das minhas estantes levaram-me de volta ao livro de Susan Sontag, Estilos Radicales (Styles of Radical Will, no original), adquirido em Barcelona numa viagem eminentemente wagneriana ao Teatro Liceo. Não é preciso ler todos os ensaios. Bastam os três da I Parte, "a estética do silêncio", o famoso "a imaginação pornográfica" e "penser contre soi: reflexões sobre Cioran". E também não é necessário concordar com tudo. O livro foi escrito nos anos sessenta do século passado, mas Sontag, no posfácio para a edição espanhola, mais de vinte anos passados, é muito clara e, em certo sentido, contemporânea alegando "a legitimidade e a necessidade de continuar a formular uma estética da resistência, resistência às barbaridades da nossa cultura, aos apocalípticos jogos de planificação dos nossos líderes e ao conformismo das nossas imaginações e das nossas vidas."

COMEMORAÇÕES

João Gonçalves 12 Mar 06

O comemorativismo tem destas coisas. Comemorou-se a eleição de Sócrates o mês passado. E comemora-se agora a entrada em funções do seu governo. A falta de "agenda" dá nisto. Comemora-se um ano, um mês ou uma mísera semana de qualquer coisa como se fossem eventos transcendentes. Aproveita-se para botar cá fora umas trivialidades e aguçar o espírito tagarela do jornalismo doméstico, esprimido em "análises" e "comentários", neste caso, sobre cada ministro. Todavia parece-me que tudo se resume a uma feroz banalidade: nenhum governo de outra ou da mesma "cor" faria, nesta altura do campeonato, melhor do que a rapaziada de Sócrates. É claro que despontam nódoas, a seu tempo removíveis, porém nada que perturbe o fundamental do exercício que consiste metodicamente em incomodar a classe média. Podem, por isso, comemorar-se à vontade até ao dia que ela acorde e decida que já não há mais nada para comemorar.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor