Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

"PORTUGAL MAIOR"

João Gonçalves 16 Fev 06


Há dias, numa entrevista a Maria Flor Pedroso, Medeiros Ferreira - presumo que sem ironia - disse que os melhores tempos que Cavaco Silva recordaria do seu mandato presidencial seriam os actuais, passados no Palácio de Queluz. Com a sucessão de demências e de "imprevistos" a que o país "profundo" que votou nele - e em Sócrates - vai mansamente assistindo, Cavaco poderá ter de assumir um maior relevo na paisagem política do que ele inicialmente previa. Apesar da maioria absoluta, há um perfume de trapalhada (Medeiros Ferreira diria "de comédia") no ar que é, no mínimo, comprometedor. Esse perfume acompanha, por outro lado, uma por enquanto vaga sensação de "venda de banha da cobra" que poderá afirmar-se mais consistente com o decurso do tempo. Aí, o país olhará com naturalidade para Cavaco Silva. Tudo indica que, em boa hora, lhe será reclamado o "Portugal Maior" que prometeu.

LICENCIOSIDADES

João Gonçalves 16 Fev 06


Graças ao Jorge Ferreira, descobri mais uma cavadela. É aquela coisa horrível da "licenciosidade", o jargão que substitui doutrinariamente a "liberdade de expressão". A doutrina foi firmada há dias, a partir do MNE, por uma notabilidade administrativista das nossas faculdades de direito que, antes e depois do 25/4, "moldou" tantas cabecinhas mandantes. E tem seguidores onde menos se espera. No fundo, é o que diz a Helena Matos: "como numa grotesca repetição de vergonhas passadas, vemos que estão criadas as circunstâncias para se começar a negociar talhões da liberdade de expressão". Já sabem, quem for "licencioso", leva.

ENTRETANTO...

João Gonçalves 16 Fev 06

... da cabeça luminosa do dr. Alberto Costa brotou a ideia de mais uma comissãozinha para as escutas telefónicas. Isto depois do governo do "bonzinho" Guterres, de que ele fez parte, ter escancarado as portas à devassa em nome da "reforma" do processo penal que, volta não volta, é "reformado", tipo prato "ao momento". O meu amigo Rogério Alves advertiu, com razão, o ministro no sentido de ele evitar "soltar" estas ideias. Em vão. Ele primeiro "solta-as" e depois logo se vê. E o dr. Costa nem era dos que tinham começado mal.

GOSTOS

João Gonçalves 16 Fev 06

Eu abomino o 24 Horas. Todavia gosto disto e disto. Ou seja - e sobretudo - gosto de poder não gostar do 24 Horas. E também não gosto de ver ninguém ser e gostar de ser tratado como "vaca sagrada", seja acusador ou defensor. "Administrar a justiça", como vem na constituição, é outra coisa. Dessa, quando é a sério, gosto.

PAR DELICATESSE

João Gonçalves 16 Fev 06


Tivesse eu menos uns anitos, arrumava as botas e mandava f**** este país de merda (os asteriscos vêm por causa da p*** da liberdade de expressão). Assim, par delicatesse j'ai perdu ma vie.

A LINHA FEITICEIRA

João Gonçalves 16 Fev 06


"Melville dizia: "Se dissermos dadas as necessidades da argumentação que ele é louco, então eu preferiria ser louco a sábio... gosto de todos os homens que mergulham. Qualquer peixe pode nadar perto da superfície, mas é preciso ser-se uma grande baleia para descer a cinco milhas e mais... Os mergulhadores do pensamento voltaram à superfície com os olhos injectados de sangue desde o princípio do mundo." Reconhecemos com facilidade que há perigo nos exercícios físicos extremos, mas o pensamento é também um exercício extremo e rarefeito. A partir do momento em que pensamos, enfrentamos necessariamente uma linha onde se jogam a vida e a morte, a razão e a loucura, e esta linha arrasta-nos. Só podemos pensar nesta linha de feiticeira, faltando dizer que não estamos forçosamente condenados a perder, que não estamos forçosamente condenados à loucura e à morte."
Gilles Deleuze, Conversações

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor