Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

A MURALHA D'AÇO

João Gonçalves 26 Jan 06

"ESTA GENTE NÃO CAI COM OS MUROS: " Cavaco não pode esquecer que a maioria do povo português não votou nele", Ruben de Carvalho dixit, hoje, no DN."

Filipe Nunes Vicente, in Mar Salgado

A CADEIRA ABENÇOADA

João Gonçalves 26 Jan 06


Eu sou o que se pode chamar um católico foleiro. Não pratico e sou mais dado à teoria e à contradição, graças a Deus. Daí a minha tendência "hiper-ratzingeriana". Todavia, em matérias de Estado, sou ferozmente laico. Por isso, não compreendo muito bem o que é que o cardeal-patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, pessoa que eu muito estimo, estava a fazer na abertura do ano judicial ao lado do Estado e das corporações. Tal como não percebo que, por esse país fora, em determinadas inaugurações, ocorram bençãos. Deve ser mal meu.

PARA QUE SERVE UM PRESIDENTE

João Gonçalves 26 Jan 06

"Cavaco Silva tem pela frente uma tarefa rigorosamente inédita ele é o primeiro presidente eleito que não responde pela herança do PREC ou pela tradição do antifascismo. Trinta anos depois do 25 de Abril, este momento traduz a inauguração de um novo ciclo na vida portuguesa. Não apenas na "vida política", mas na sua dimensão cultural e afectiva, até aqui prisioneira da bênção dos "proprietários da história" e do "republicanismo histórico". A sua eleição significa que a Presidência deixou de ser encarada como património dessa herança e dessa memória. Em vez do "republicanismo", os valores republicanos (o respeito pelas leis, o rigor e a qualidade da vida pública). Em vez do respeito acrítico pelo passado, a necessidade de uma atenção permanente à vida dos portugueses. Para isso se quer um presidente: que ele seja exigente e rigoroso num país que tem de ser mais exigente e mais rigoroso. O presidente sabe que não tem de ser o exemplo ou o símbolo dos nossos lugares-comuns; esses, temos em abundância, misturados com defeitos e virtudes. Pelo contrário, tem de ser o exemplo desse novo ciclo da vida portuguesa e da transformação que o deve acompanhar."


Francisco José Viegas, in Jornal de Notícias

E DEPOIS DO ADEUS

João Gonçalves 26 Jan 06

"Depois a cidadania desaparece, no meio dos problemas do dia-a-dia, e os partidos ficam. Iguais a si mesmos. Ou talvez não…porque, a haver alguma reorganização à direita, ela será feita, a partir de Belém, pelo eleito que não é de direita. Não tem emenda, a direita."

Constança Cunha e Sá, "A Direita", em O Espectro

ALGUNS ANTECEDENTES MITOLÓGICOS

João Gonçalves 26 Jan 06


Ameinias canta no sémen de Narciso
a muralha cujo nome findou. Esmaga
no dardo duma fonte o ermo do fascínio.
Hastes de sangue rompem em corola. Rude
a praga súbita da alma, o encontro,
corusca na sorte do pinhal. Talvez
haja na calamidade um resto que
não é calamidade: isso nos faz viver.


Joaquim Manuel Magalhães

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor