Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

...

João Gonçalves 17 Out 03

O SEGREDO NO LIXO

Os jornalistas que se acotovelam à porta do tribunal de instrução criminal de Lisboa, à espera de novas do "processo", tiveram a grata surpresa de poder consultar processos...nos caixotes do lixo. Folhas soltas de autos, onde constavam nomes, moradas , telefones e telemóveis, deitadas ao lixo, fizeram as delícias da rapaziada, até recolherem os caixotes na garagem. Apareceu um alto dirigente do ministério da Dra. Celeste para "averiguar" sumariamente. Amanhã há-de vir um "inquérito" e depois uma qualquer admoestação, porventura, a uma senhora da limpeza. Que destino funesto, o do "segredo de justiça" : um caixote do lixo. Até um cão o pode violar e mijar-lhe em cima.

...

João Gonçalves 17 Out 03

MAIS DO MESMO

O Orçamento de Estado. Com umas pequenas nuances e folgas, o OE para 2004 mantém os "apertos" em vigor. Nuns casos, dá-se com uma mão o que se tira com a outra. No Ministério da Cultura, o que se acrescenta em PIDDAC, diminui-se em funcionamento. Haverá, pelo caminho, o habitual recurso a cativações. De uma forma geral, o famoso "investimento público", o tal que "ajuda" a economia, fica a aguardar melhores dias. Tudo continua circularmente à volta do déficit. O espectro das receitas extraordinárias para o diminuir, paira como quase realidade. O desemprego também. O cenário não é empolgante.

Os estudantes. A Dra. Graça Carvalho ainda não terá intuído o sarilho em que se meteu. Os "capa e batinas" não lhe vão dar tréguas. Nunca irão mais longe do que o que se conhece. Não são nem "realistas", nem "pedem o impossível". Até no protesto são vulgares. Eu é que não tenho que lhes pagar o desforço. Nem a generalidade dos contribuintes. No meio desta algazarra, seria bom que a Sra. Ministra esclarecesse se manteve o bizarro Director Geral do Ensino Superior. Ou que, entre dois apitos e três berros de megafone, os alunos lhe perguntassem. Esse, sim, merece o olho da rua.

O Presidente da Câmara de Lisboa. O amor ao Parque Mayer fez esquecer Santana Lopes de que precisava fazer umas continhas. O arquitecto do Gugenheim de Bilbao paga-se naturalmente caro. Lopes chegou agora à conclusão de que não está disponível para pagar tanto. A saga do casino e do Parque, promete, portanto, continuar. Este "sempre querer e não querer o mesmo", valia um cartaz a Santana Lopes. Ele, que ainda outro dia disse que tinha muita queda para "executivo". Apesar deste solene desabafo, temo que Lopes, por causa do tropismo belenense, comece a estar-se nas tintas para a Câmara. Era bom que acertasse de vez no "perfil". Só para o seu próprio bem estar polí­tico. Nada mais.

O rumor tagarela. O porventura maior filósofo do século passado, Martin Heidegger, incomodava-se com o ruído tagarela da vulgaridade discursiva. Não querendo ir tão longe, fico-me por um dizer de um célebre cómico brasileiro, lembrando tanto do desperdício tagarela vigente: "mais vale passar por parvo estando calado, do que abrir a boca e acabar com as dúvidas".

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • João Gonçalves

    Primeiro tem de me explicar o que é isso do “desta...

  • s o s

    obviamente nao é culpa do autor ter sido escolhi...

  • Anónimo

    Estou de acordo. Há questões em que cada macaco se...

  • Felgueiras

    Fui soldado PE 2 turno de 1986, estive na recruta ...

  • Octávio dos Santos

    Então António de Araújo foi afastado do Expresso p...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor