Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

...

João Gonçalves 9 Ago 03

80 ANOS

1. de profundis amamus

Ontem
às onze
fumaste
um cigarro
encontrei-te
sentado
ficámos para perder
todos os teus eléctricos
os meus
estavam perdidos
por natureza própria

Andámos
dez quilómetros
a pé
ninguém nos viu passar
excepto
claro
os porteiros
é da natureza das coisas
ser-se visto
pelos porteiros

Olha
como só tu sabes olhar
a rua os costumes

O público
o vinco das tuas calças
está cheio de frio
e há quatro mil pessoas interessadas
nisso

Não faz mal abracem-me
os teus olhos
de extremo a extremo azuis
vai ser assim durante muito tempo
decorrerão muitos séculos antes de nós
mas não te importes
não te importes
muito
nós só temos a ver
com o presente
perfeito
corsários de olhos de gato intransponível
maravilhados maravilhosos únicos
nem pretérito nem futuro tem
o estranho verbo nosso


2. Em todas as ruas te encontro

Em todas as ruas te encontro
Em todas as ruas te perco
conheço tão bem o teu corpo
sonhei tanto a tua figura
que é de olhos fechados que eu ando
a limitar a tua altura
e bebo a água e sorvo o ar
que te atravessou a cintura
tanto, tão perto, tão real
que o meu corpo se transfigura
e toca o seu próprio elemento
num corpo que já não é seu
num rio que desapareceu
onde um braço teu me procura

Em todas as ruas te encontro
Em todas as ruas te perco


3. Estação

Esperar ou vir esperar querer ou vir querer-te
vou perdendo a noção desta subtileza.
Aqui chegado até eu venho ver se me apareço
e o fato com que virei preocupa-me, pois chove miudinho

Muita vez vim esperar-te e não houve chegada
De outras, esperei-me eu e não apareci
embora bem procurado entre os mais que passavam.
Se algum de nós vier hoje é já bastante
como comboio e como subtileza
Que dê o nome e espere. Talvez apareça.


Parabéns à prima...

...

João Gonçalves 9 Ago 03

AUTO DA VISITAÇÃO

Enquanto o JPP anda preocupado com o lançamento de foguetes e o Pás está em guerra com o LIDL, continua em férias, quiça judiciais, o nosso pulha. Contudo, o clube verdadeiramente liberal da blogosfera - os que se auto-rotulam de liberais normalmente são uns chatarrões da linha Espada e que se levam demasiado a sério - está robustecido com um anarca, uns maus fígados e um abutre. Bem vindos!

...

João Gonçalves 9 Ago 03

A INSUSTENTÁVEL LEVEZA III

A capa do 1º caderno do Expresso vem confirmar o que se suspeitava: o novo e fundido serviço de protecção civil e bombeiros, a que preside a criatura Leal Martins - mais uma a viver na já preocupante estratosfera portuguesa - , ignorou os avisos e os alarmes relativos à canícula prevista. Não admira que queira "adoçar" as imagens que as televisões transmitem permanentemente da angústia das populações e da terrível devastação no terreno. Sendo assim, conclui-se que não estamos a salvo com a nossa protecção civil, nem salvos dela.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • João Gonçalves

    Primeiro tem de me explicar o que é isso do “desta...

  • s o s

    obviamente nao é culpa do autor ter sido escolhi...

  • Anónimo

    Estou de acordo. Há questões em que cada macaco se...

  • Felgueiras

    Fui soldado PE 2 turno de 1986, estive na recruta ...

  • Octávio dos Santos

    Então António de Araújo foi afastado do Expresso p...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor