Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

SIMONETTA

João Gonçalves 30 Ago 08


Simonetta Luz Afonso vai aposentar-se e deixa a direcção do Instituto Camões. Por que é que a aposentação de uma alta funcionária do Estado é notícia, com direito a "setas para cima"? Porque Simonetta é verdadeiramente uma mulher "for all seasons", uma distinta representante do regime "cultural" em vigor. Faz parte daquele vasto caldeirão de figuras "transversais" que estão sempre prontas para "servir" e que são apaparicadas indistintamente pelo PS, pelo PSD e pelo Palácio de Belém, ou pelos três ao mesmo tempo. Simonetta, aliás, personificou há uns anos uma cena típica. Num remake dos Estados Gerais do PS, em pleno auge "guterrista" de 99, a senhora foi abordada pelas televisões que lhe perguntaram o que é que estava a fazer no Coliseu. Na realidade, Simonetta tinha sido "guru" de alguns eventos "culturais" famosos promovidos pela "cultura" do tempo de Cavaco. Simonetta, com toda a naturalidade do mundo, respondeu que, como funcionária pública, tinha a obrigação de estar ao lado de quem mandava nela. Como era Guterres quem mandava (e tudo indicava que continuasse a mandar), ela achou por bem ir mostrar-se à Rua de Santo Antão. Aplicou-se, com zelo e método, a praticar o mesmo princípio após o sumiço do bonzinho de São Bento. Até ao fim. Não é, pois, de admirar o panegírico. Simonetta foi apenas um dos mandarins. Ainda sobram bastantes.

6 comentários

De Anónimo a 31.08.2008 às 02:29

Com todos os defeitos que se lhe possam apontar, nomeadamente a de ser um "mandarim" de todos os regimes ou do "centrão", é um facto que a Simonetta é um bom exemplo do serviço público: dinamizou os museus quando da criação do IPM por Santana Lopes quando era SEC, foi responsável por exposições que dignificaram a imagem do País no estrangeiro como a Europália, Expo, Hannover etc e promoveu a imagem do Instituto Camões quando pouca gente conhecia as suas atribuições e competências. Anunciou a sua reforma, afirmando a sua disponibilidade para outras causas.
Saíu com dignidade e com a noção do serviço cumprido, em vez de se perpetuar no poder como tantos outros que se consideram "insubstituíveis". Só por isso merece uma nota muito positiva, não só pelo trabalho realizado como pela atitude que tomou.

De Anónimo a 31.08.2008 às 06:51

há gentalha que normalmente serve todos os governantes.nasceram com a lingua de fora para servir de passadeira vermelha.
quando trabalhava havia escumalha que, contra a minha vontade, me lambia de tal modo os sapatos que me faziam cócegas nas solas dos pés.
os sons vindos desta república socialista são todos digestivos: dentes, arrotos e peidos.
eles "comem tudo"

radical livre

De Anónimo a 31.08.2008 às 13:05

É curiosa a filosofia subjacente a este(e outros)posts deste Blog.Seja quem for que tenha trabalhado e obtido algum sucesso desde 1976 até agora é sempre um "mandarim do regime",um repelente vendido aos sinistros partidos que nos governam após a infausta data do 25/4,etc. Se alguem se distinguiu pelo trabalho realizado,seja nas artes,nas letras ou nas ciências,nunca poderá ter qualquer mérito senão,como diz o distinto comentador "radical livre", o de andar a lamber as botas dos tiranos do "regime". Concluo então que qualquer individuo com aptidões,talento,vontade de realizar coisas,para ser sério e honesto deveria remeter-se ao absoluto silêncio e inacção.É isto ou estarei enganado? Se é,lamento.

De Anónimo a 01.09.2008 às 13:02

Pois o meu comentário vai noutro sentido. Simonetta tem de sair porquê? Não se abriu uma excepção para o inenarrável presidente da Cinemateca Nacional? Porque se não pode fazer o mesmo para esta mulher fantástica que realmente cumpriu em todos os cargos que exerceu? É a tal coisa das «capelinhas» de que não nos safamos como país meridional...

De António Ventura a 01.09.2008 às 16:01

Em parte este post é verdadeiro.
No entanto, a senhora sai com obra feita e, parece-me, disso se pode orgulhar.
Outros, têm sido muito mais "rolhas" e ao contrário de Simoneta,sem nenhuma razão aparente, continuam em altos postos, independentemente dos governos e dos partidos.
A saúde está cheia desses "rolhas" e qual é a sua "obra"?

De António Ventura a 01.09.2008 às 16:01

Em parte este post é verdadeiro.
No entanto, a senhora sai com obra feita e, parece-me, disso se pode orgulhar.
Outros, têm sido muito mais "rolhas" e ao contrário de Simoneta,sem nenhuma razão aparente, continuam em altos postos, independentemente dos governos e dos partidos.
A saúde está cheia desses "rolhas" e qual é a sua "obra"?

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • Gabriel Pedro

    Meu Caro,Bons olhos o leiam.O ensaio de Henrique R...

  • Maria Petronilho

    Encontrei um oásis neste dia, que ficará marcado p...

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor