Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

Travar o recúo social-democrata

João Gonçalves 18 Dez 14

 

Fora do PSD desde 2004, não deixo de tentar perceber o que lá vai dentro. Um dia destes foi lançada uma biografia do dr. Rui Rio e, no contexto, disseram-se uma série de dislates em torno da "dimensão" do homem. Eu próprio, algures, achei que Rio podia servir. Um pequeno grupo de "notáveis" também achou, em 2009, mas o homem fugiu da possibilidade de ascender à Lapa em menos de 24 horas. Aos poucos realizei que Rio, fora dos sucessos eleitorais camarários de 2001 e seguintes, é a personificação do lugar-comum da "esperança" sendo que a "esperança", em política partidária, é tão lugar-comum como o "estratégico" que António Costa deu em usar para tudo e o seu nada. A principal diferença entre Costa e Rio é que Costa já é líder do PS e Rio dificilmente ultrapassará o patamar "esperançoso" em que se colocou apesar dos andores circunstancialmente erguidos para o pôr em cima seja do que for - partido, São Bento, Belém. Quando passar a tormenta dos próximos meses políticos, ninguém no seu perfeito juízo "social-democrata" (ou, se preferirem, do programa não escrito do PSD) pretenderá continuar a ouvir os sermões moralistas do dr. Passos Coelho. O país e o partido agradecer-lhe-ão os serviços prestados, sobretudo na supra-execução do PAEF, e Passos rumará com naturalidade para a sua nova vida de "senador" (a fila é longa mas cabe sempre mais um). Em rigor o "passismo" não tem herdeiros porque no PSD como, presumo, no PS, os "istas" do derradeiro líder tendem a ser os primeiros "istas" do próximo. É da vida, sobretudo da deles. Por o conhecer desde 1978, quando entrámos para o curso de direito na Católica, e por lhe reconhecer o que mais prezo em política, a independência de espírito crítico - e independentemente de ninharias em que ele às vezes se perde por pessoas que não merecem ou não valem o esforço -, veria com bons olhos uma candidatura do Nuno Morais Sarmento a presidente do PSD. Se ela aparecer, e valendo isto o que vale (e que é muito pouco), conta comigo.

2 comentários

De PALAVROSSAVRVS REX a 19.12.2014 às 22:21

Eu conto com Maria Luís Albuquerque e se avançar conta comigo. Mais firmeza técnica e menos paleio político redondo da sarça ardente ou da sarna ardente do regimental Sarmento.

De Vasco a 21.12.2014 às 02:14

Tenho bastantes dúvidas sobre a utilização do inglesismo "realizei"..

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

  • António Maria

    Completamente de acordo.Ontem tive vergonha de ser...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, «plus ça change, plus c'est la mêm...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor