Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

Miró "a" mercado

João Gonçalves 14 Jan 14

 

Tudo o que não tenha a ver com o "regresso a mercado", não interessa. Tudo o que não possa ser traduzido em Excel ou em algoritmos, não interessa. Tudo o que revele, para além de outras coisas, um certo sentimento estético da vida ou a mais pequenina possibilidade de prover ao gosto e à sensibilidade, não interessa. Um "activo" é um "activo" que é um "activo" (que o diga o banco Goldman Sachs, essa benemérita instituição, que foi contratada pela Grécia para ocultar perante terceiros a desgraça que a vitimou a seguir, e que agora, pela voz do dr. Esteves - não o de Tabacaria do Pessoa, mas o "nosso homem" no banco - "recomenda" que se prescinda por cá do "cautelar: por que será?), e Miró é um "activo" do BPN, essa coisa em forma de assim que os portugueses só podem apreciar a título "passivo", pagando-o. Barreto Xavier resume perfeitamente o exercício: "a aquisição da colecção de Joan Miró não é considerada uma prioridade no actual contexto de organização das colecções do Estado”. Mas se o BPN está "nacionalizado, nosso", então os quadros do Miró não estão? Ou Miró, nesta lógica de mercearia grossista e grosseira, não pode juntar-se aos contribuintes que sustentam o "lixo" do BPN? Não, definitivamente esta gente não de deixa impressionar pela presença de belos objectos, para usar uma expressão de Walter Pater, nem deixa que os outros, os que pagaram e pagam o "lixo BPN" se deixem impressionar. E, asssim, "as obras continuam a figurar no catálogo para o leilão de 4 de Fevereiro no site da Christie’s, não havendo mais indicações sobre o evento por parte do executivo." Vão "a" mercado.

4 comentários

De Pedro a 14.01.2014 às 14:32

"Veja-se o que se passa com a invenção do “aumento do emprego” do discurso de Passos Coelho, ou com a aldrabice da “retoma económica” que o Governo tem vindo a repetir, ou com a ficção do “programa cautelar” delicodoce que Cavaco Silva elogia ou com a abjecção da “insustentabilidade das pensões” que PSD e CDS apregoam. Não há pessoas a denunciar estas e outras aldrabices? "

Ler mais em:
http://www.publico.pt/mundo/noticia/o-sonho-evanescente-de-um-jornalismo-independente-1619532

De Fernando Ferreira a 14.01.2014 às 16:40

Caríssimo João, é o que dá ter lido na oposição ao consuldado socrateiro essa famosérrima obra fundamental da filosofia contemporânea intitulada «Fenomenologia do Ser», da autoria incontestada de Jean-Paul Sartre...

De Mira-lo a 14.01.2014 às 16:54

E nós já fomos a mercado há muito tempo.Desde que deixaram desconjuntar as contas públicas,especialidade dos nossos governantes desde,lembra-se?
Já não é o "quem dá mais" é o "quem dá".Os intermediários têm a comissãozinha.A luta é agora só entre eles pelo acesso ao nosso espólio.

De Sobre os Mirós a 14.01.2014 às 22:43

Penso que será interessante ler a perspectiva do autor do blog

http://transparente.blogs.sapo.pt/

e o misterioso itinerário dos quadros de Miró. Se de facto estão em Londres. Basta olhar atentamente o catálogo da Christie's: a localização dos quadros e imensos outros pormenores. Nada bate certo

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

  • António Maria

    Completamente de acordo.Ontem tive vergonha de ser...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, «plus ça change, plus c'est la mêm...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor