Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

Limpeza do pó

João Gonçalves 14 Jun 15

GV.jpg

A empresa de sondagens do dr. Oliveira Costa (Rui) perpetrou alguns "estudos" no Expresso. Se os tomarmos ao pé da letra, verificamos, por exemplo, que inexiste nos sondados o mesmo acrisolado amor pela TAP que é por aí vendido, a título de fervor patrioteiro sem sentido, pelas esquerdas e pelo cineasta Vasconcelos. O que as pessoas querem é partir e chegar a horas num qualquer avião que os leve e traga em sossego e com alguma qualidade. Também constatamos que não valeu de muito à camarilha do dr. Costa a Vendeia que correu com o dr. Seguro: este derradeiro estudo coloca o primeiro até mesmo abaixo dos piores momentos do segundo nas sondagens. E que a coligação "Portugal à frente" - um anagrama aparvalhado do "P'rá Frente Portugal" do prof. Freitas em 1986 -, sem "mitos", improvisos autocomplacentes ou "independentes" nulos, pode perfeitamente fazer "frente" ao assombrado candidato a 1º ministro do PS. Quanto a presidenciais, o "estudo" mostra relativamente o óbvio no "terreno" com o autor de Le Temps des Professeurs a "impor-se" ao referido PS (não terá sido  por acaso que o homem se formou por cá em teatro embora tal não conste das "biografias oficiais") antes que apareça o segundo homem ou a terceira mulher genuinamente "camarada"; com Henrique Neto, praticamente sem ninguém de jeito por trás, no encalço do centro-esquerda e manifestamente o único daí a poder embaraçar o artificialismo representado pelo emérito reitor; e com Marcelo, ainda por vir, como o preferido a partir do centro-direita para ir à conquista daquela "não esquerda" com a qual se ganham eleições. Dito isto, chove em Lisboa o que é bom para, pelo menos, a limpeza do pó.

1 comentário

De Anónimo a 15.06.2015 às 12:00

Se o resultado for o que desconfio, no dia das eleições presidenciais quero muito ouvir os comentários explicativos de todos aqueles comentadores-analistas de lugar cativo que da mais descarada forma estão a usar óculos especiais anti-Henrique Neto, daqueles que fazem as coisas desaparecer mesmo quando à frente dos olhos. É que o homem, que não é "engenheiro", vai ter votos de gente de muitas cores. E não vão ser votos à pressão, de investimento, ou provindos da popularidade do bitaite semanal nas TVs. Vão ser os votos do cansaço.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

  • António Maria

    Completamente de acordo.Ontem tive vergonha de ser...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, «plus ça change, plus c'est la mêm...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor