Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

A paz dos cemitérios

João Gonçalves 19 Set 14

 

Segundo alguém em Bruxelas, a "Europa" terá "suspirado de alívio" com os resultados do referendo na Escócia. De facto, a derrota dos independentistas representa sobretudo sossego - a paz dos cemitérios como diria o Marquês de Posa, no Don Carlos de Verdi, a Felipe, o "dono" de um império no qual o sol nunca se punha - para a "Europa" funcionária e politicamente inepta em vigor. Os nulos Conselhos Europeus podem continuar a ser nulos, o Parlamento pode continuar a fazer de conta que "fiscaliza" e a Comissão pode, sob a batuta de Juncker, um Barroso ligeiramente mais sofisticado e simpático, continuar a florescer na sua insignificância. O sr. Cameron - que se assustou nos últimos dias antes do referendo e que teve de recorrer aos "dotes" oratórios do criador-sombra do idiota Blair, o sr. Brown - mais dia menos dia terá de fazer a consulta fatal: saber se o seu querido Reino Reunido pretende ficar na "Europa". Ganhou, no fundo, o "sistema" com o qual os media alinharam sem rebuço e com a mesma palonça alegria com que passam a vida a celebrar a sua suposta "independência". Com "vitórias" destas, a "Europa" há-de ir muito longe.

Tags

7 comentários

De Valdemar Rodrigues a 19.09.2014 às 13:54

Não podia estar mais de acordo, nem dizer melhor. Parabéns pela lucidez.

De Anónimo a 19.09.2014 às 16:16

Tem piada. Está sempre toda a gente contra os egoísmos nacionais, mas agora têm pena que o Não tenha ganho, quando os motivos dos independentistas escoceses são puramente egoístas também. Querem ficar com a totalidade das receitas do petróleo esquecendo que são os recursos do Reino Unido que permitem extraí-lo. 


De resto, seria útil que fosse tornado publico quais foram as multinacionais petrolíferas a financiar o SNP para mais facilmente meterem a mão no petróleo e deixarem a BP fora de jogo. Ou pensa que por detrás do Salmond não há também cifrões? Não, era "só" coração.


E, nem de propósito, o Sean Connery (tal como o Alan Cumming e outros) é bem o símbolo do mito que é independentismo escocês, pois al se apanhoy com dinheiro bazou da Escócia para fora. Mas quer o país independente à força e depois quem lá vive é que se lixa.

De Luis Moreira a 19.09.2014 às 18:05

A Escócia nunca colocou a hipótese de sair da UE. E a Galiza, a Catalunha...ninguém quer sair da EU. É o contrário. Os povos gostam da capa protectora da UE

De fado alexandrino a 19.09.2014 às 21:57

Foi mau, mesmo muito mau pelo menos para a TVI que apostou tudo no Yes.
O ar triste do correspondente lá no sítio metia dó.
Estava a ver que voltavam a entrevistar o português de ontem que ia votar, SIM.

De João Gonçalves a 20.09.2014 às 14:57

Estava mais a pensar ma "maioria" comunicacional pello "não", parecia que tinham todos estudado pela mesma cartilha, a dos ceguinhos únicos de Bruxelas. Mas este exemplo também serve.

De Rodrigo de Vilhena a 20.09.2014 às 15:23

Meu caro João Gonçalves
Partilho consigo o meu total desprezo pelos burocratas de Bruxelas e por esta espécie de União Soviética que nos vai (des)governando. No entanto não acho que seja pela pulverização da Europa que lá chegamos. O sim na Escócia seria o sinal de arranque para todos nacionalismos palonços cujas consequências seriam sempre imprevisíveis. Eu vou mais pelo referendo na Grã Bretanha que mais tarde ou mais cedo o Cameron vai ser obrigado a fazer.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

  • António Maria

    Completamente de acordo.Ontem tive vergonha de ser...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, «plus ça change, plus c'est la mêm...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor