Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

A PROMULGAÇÃO E A DIREITA

João Gonçalves 18 Mai 10


Não vou fazer proselitismo cavaquista. Percebo que a decisão promulgatória do PR em relação às alterações ao casamente civil perturbe muita gente. Sobretudo quem acredita no casamento, o que não é o meu caso, independentemente de ser entre um elefante e uma doninha. Só a Igreja tem direito a defender a sua doutrina acerca do assunto porque precisamente tal doutrina não é matéria de opinião. Daí para diante, todos os disparates e todas as infelicidades são possíveis. Quando o Código Penal foi alterado pela primeira vez por causa do aborto, Eanes, então presidente, fez o mesmo que Cavaco - promulgou e disse ao país, na televisão, que pessoalmente não tinha nada a ver com aquilo. De resto, o país não muda por causa desta bandeirinha foleirota. Não ficámos mais civilizados ou modernos, de um dia para o outro, como proclamaram os idiotas das esquerdas e a tonta Roseta. O que continuamos a ser, isso sim, é perdedores natos de dinheiro emprestado a altos juros e uma economia falsa assente em pressupostos errados. Prolongar este debate sobre costumes para chegar ao mesmo resultado, era estupidez crassa e uma perda absurda de tempo. Ninguém, de boa fé, podia esperar uma bravata inconsequente ou quixotesca do presidente por causa desta porcaria. O homem evidentemente não mudou de valores. Quem, da direita, não apreciou o gesto realista de Cavaco tem, por isso, bom remédio. Começa já a tomar sais de frutos como aquela senhora comunista que, em 1986, se preparava para votar em Soares contra Freitas do Amaral. Nenhum dos dois - a senhora ou Soares - se saiu mal.

26 comentários

De Anónimo a 18.05.2010 às 12:12

E isto, não deverá inquietar??

Do "i"

"O número de desempregados em Portugal, segundo o Instituto Nacional de Estatística, já ultrapassa as 592 mil pessoas inscritas nos centros de emprego.
A taxa de desemprego subiu para os 10,6% no primeiro trimestre do ano. Um número que aumentou 1,7 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano passado. No que toca ao trimestre anterior, o desemprego subiu 0,5 pontos percentuais.
Ao nível do emprego, o cenário também piorou. O número de empregados diminuiu 1,8% em comparação com o mesmo trimestre de 2009".

E também do "i":

O secretário de Estado do Emprego e Formação Profissional, Valter Lemos, manifestou hoje satisfação pela descida de 0,2 por cento no número de desempregados incritos nos centros de emprego em abril, a primeira dos últimos 11 meses.

De acordo com os dados mensais do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), o número de desempregados inscritos nos centros de emprego em Portugal desceu 0,2 por cento em abril face ao mês anterior, para 570.768, e aumentou 16,1 por cento face a abril do ano passado.

"Esta é a primeira descida do último ano", disse à agência Lusa Valter Lemos, considerando que os dados divulgados hoje "são animadores", dado que o desemprego não baixava há 11 meses."


Doidinhos?? hem?!! Comose casam estas duas notícias de hoje, é que não são do mesmo sexo, embora do mesmo género, e não vejo como possam procriar por falta de compatibilidade genética, embora sejam parecidas com o cu da mama Joana.

Rita

Rita

De Anónimo a 18.05.2010 às 12:21

Apesar de tudo é uma vergonha: o presidente viu-se obrigado a promulgar uma merda duma leizeca fabricada no parlamento por uns imbecis traidores que, neste aspecto como em muitos outros, não representam a maioria do eleitorado. E assim, pela calada e perante a passividade de todos, foi vibrado mais um golpe no frágil edifício dos valores da família e emitida mais uma mensagem clara de amalgamamento-emporcalhamento e libertinagem assistidas. Bravo.

Ass.: Besta Imunda

De Q a 18.05.2010 às 12:34

"Prolongar este debate sobre costumes para chegar ao mesmo resultado"

Este seu princípio é perigoso. Vamos abandonar as nossas lutas, só porque não as vamos ganhar? Onde ficam os princípios?

De Anónimo a 18.05.2010 às 12:34

"Quem, da direita, não apreciou o gesto realista de Cavaco tem, por isso, bom remédio. Começa já a tomar sais de frutos".

Isso é que era bom!
O meu voto não o verá.

Se é para isto, ou seja, ter que aprovar tudo e mais alguma coisa apenas e só "porque estamos em crise", não é preciso um ser-humano
pensante em Belém, basta colocar lá um qualquer robot.

Há valores que valerão sempre mais que uma simples conjuntura. Mesmo quando esta se trata de uma grave crise económica e financeira.

Cavaco ficará para sempre cúmplice desta lei que é notícia em todo o mundo.

De Anónimo a 18.05.2010 às 12:51

Já tinha escrito isto noutro sítio. Com esta da lei paneloka, o Cavaco fez transbordar o meu copo já cheio da cooperação com o vigarista do espanhol técnico. Pela 1ª vez, em mais de 20 anos de direito a voto, vou ficar refastelado "a ver filmes". Nem sais de fruto nem alka-seltzer.

É por estas e por outras que tipos como o Presidente da República Checa, ou o defunto presidente da Polónia, fazem falta aqui. A falta de tomates ultrapassou o limite do admissível.

PC

De www.angeloochoa.net a 18.05.2010 às 13:22

Não leve a mal, João Gonçalves, que faça copi e past de quanto comentei no seu anterior post, e que era positivamente sobre este assunto:
www.angeloochoa.net disse...
Humanidade – Hipocrisia – Perversidade -- Má Consciência:
-- A propósito de Helena Roseta ter dito no programa de ontem do Mário Crespo que o P.R. ao não «vetar» o projecto de lei dos «casamentos» entre pessoas do mesmo sexo foi «hipócrita»:

Em que crê a Senhora Arquitecta?
-- Em nada.
Porque chama «hipócrita» ao P.R.?
Diz ela que em nome da «coerência» -- e dá-se como exemplo dessa «virtude» que ela bla bla muita vez na vida levou a «sua» avante…
Qual é seu móbil?
Denegrir Cavaco Silva, promover Alegre para a próxima tramóia já agendada.
Que defendeu Roseta que Cavaco devesse fazer?
«Vetar» -- para depois se humilhar a aceitar a dita.
(Neste entrementes perderíamos uns mais tempinhos com a estopada e a «argumentações opinativas» e quejandos sórdidos comentários quais os dela.)
Que disse Roseta que Cavaco disse?
-- Que invocou o que ela nem sabe como nomear e «ética» e sentido ou razão de Estado e bla bla bla…
Com que autoridade Roseta (não a da Pedra do mesmo nome) dá lições?
-- Com autoridade nenhuma e com «exemplos» de que é melhor calar.
Que conclusões sacar daqui?
Há que chamar às pessoas quando mentirosas os nomes com que elas próprias mimam seus adversários políticos.
HIPÓCRITAS, os tais que carregam pesados fardos sobre outrem e nem com o mínimo dos dedos se mexem para lhes pegar numa palha.
Beba a Senhora Roseta suas venenosas confusões de seu(s) nada(s).
Antígona clamou que ante lei humana iníqua, antes obedeçamos a Deus.
Cabe a cada um julgar segundo «o céu incorruptível da consciência sua» na expressão do Antero.

De Luísa a 18.05.2010 às 15:16

Concordo com as suas duas perspectivas, João. De facto, o único casamento que afirma valores é o casamento pela Igreja. O civil tem-se empenhado em negá-los e não passa já de um contrato para regulação de interesses patrimoniais. E também me pareceu que o casamento dos homossexuais foi, para o PR, um pretexto para vir falar da gravidade da nossa situação económico-financeira, sem incorrer na crítica de intromissão nos assuntos governamentais; e para dar o devido realce a essa gravidade, que o leva a «fazer das tripas coração» para sacudir do cenário questões que têm vindo a ser usadas como factores de diversão. Ainda assim, tenho pena de que o PR se sinta na necessidade de seguir por estes atalhos, mal compreendidos e improfícuos.

De Anónimo a 18.05.2010 às 15:44

Não há dinheiro, mas a Ministra da Cultura quer tornar gratuitas as entradas nos museus nacionais. Gostava de saber qual a percentagem que essas verbas representam nos orçamentos dos museus.
Para os socialistas parece que há sempre dinheiro para tudo.

De Anónimo a 18.05.2010 às 15:57

A armadilha, o pântano, são muito mais vastos e sinistros. Além de todos os criminosos desperdícios que podem ser identificados e são conhecidos, cortar - como se devia - seriamente na despesa, implica não só reduzir pensões e prestações sociais mas, sobretudo, deveria implicar EXTINGUIR numerosíssimos cargos, ordenados, postos de trabalho inúteis, postos de trabalho redundantes. Como directa ou indirectamente cerca de 60% da população depende dos ordenados e gastos do estado, seriam milhões no "desemprego" - não 10.5% mas talvez 35 ou 40%. É o escuro abismo em que TODOS têm medo de pensar. Como a Espanha é muito menos estatizada-acomunistada (mesmo com Zapatero...) do que Portugal tem, de forma menos insalubre, mais desempregados. Sempre teve, mesmo com as contas equilibradas no passado. Mesmo a nossa actividade privada depende quase totalmente do úbere estatal - sempre dependeu. Esta foi uma "grande conquista" do marxismo em Portugal, que triunfou completamente. Estamos como a URSS de Gorby, exaurida, vazia e sem sistema viável - esmagada pela guerra-das-estrelas do Cowboy-Reagan. Círculo viciosos; pescadinha-de-rabo-na-boca; serpente que mastiga a própria cauda. Deus nos acompanhe.

Ass.: Besta Imunda

De Garganta Funda... a 18.05.2010 às 15:59

Hoje a EuroNews abriu o seu noticiário com a notícia dos «same-sex marriage» em Portugal.

Lá fora, o que é que hão-de pensar dum país, que no lugar de trabalhar e pagar as suas dívidas anda com a sua classe politica e dirigente entretida com essas «fracturâncias» impostas por uma minoria das minorias, autênticamente intolerante e anti-civilizacional?

Como disse o deputado independente do CDS, João Paulo Carvalho, o Prof. Cavaco Silva ficará na História por ter sido o presidente que promulgou a famigerada lei do aborto (para mim um crime horrendo!) e a lei do «casamento» entre elementos do mesmo sexo.

Para pôr a cereja em cima do bolo só falta promulgar a eutanásia!

(Há quem sustente que o Prof.Cavaco é o pior candidato à excepção dos outros todos.
Devido à excepcionalidade da situação o melhor mesmo é não haver presidente, pois até agora tem sido igual ao litro.

Devemos copiar a Bélgica que muitas vezes fica «sem governo» e mesmo assim é melhor governada do que esta choldra mal cheirosa e mal frequentada).

Comentar post

Pág. 1/3

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

  • António Maria

    Completamente de acordo.Ontem tive vergonha de ser...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, «plus ça change, plus c'est la mêm...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor