Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

CANALHA

João Gonçalves 20 Mar 08

A televisão passa uma "cena" inimaginável há uns anos. Não muitos. Uma aluna de uma escola secundária pública, moça do 9º ano de escolaridade (o antigo 5º ano do liceu), a quem a professora de francês apreendeu o telemóvel, berra com a dita -"dá-me o telemóvel", grunhe a pequena besta - e violenta-a. Está no You Tube (sem link porque é pura pornografia). Apenas duas ou três observações. Devia ser proibido - e o PS, na sua esquizofrenia de "esquerda moderna", esquece-se do óbvio para perseguir o que não interessa - assistir a aulas com telemóveis ligados. Ao primeiro toque, o telemóvel deveria voar pela janela e o seu proprietário ser posto na rua. Depois, como no caso visionado, o energúmeno levaria duas competentes bofetadas no focinho só podendo sair da sala com elas bem dadas. Finalmente, e caso tivesse pais ou gente "responsável" pela sua educação, estes seriam informados da expulsão do estúpido monstro ou, no mínimo, da sua suspensão. A escola pública não serve para apascentar porcinos e porcinas. Os professores representam a autoridade e a disciplina dentro da sala de aula. Retirar-lhes estas prerrogativas significa apenas lançar o "futuro" da escola pública pela janela, em vez do telemóvel. Os portugueses não pagam impostos para assistirem bovinamente a cenas destas. O lugar da canalha não é na escola.

57 comentários

De CAP CRÉUS a 20.03.2008 às 23:10

Assino por baixo!

De Jacinto a 20.03.2008 às 23:11

Neste regime ,é a canalha quem reina.

De Anónimo a 20.03.2008 às 23:27

Há uns anos não havia telemóveis, mas havia RGA e outros porcinos tais como o Dr. Durão Barroso que punham em estado de sítio a FDUL e os arrabaldes.

E no seu tempo, no D. Pedro V, a ganza era mais que muita e tb se gozava indecentemente com os professores mais frágeis.

Percebo o seu desagrado, mas o problema não é só da agora, nem da "escola de Atenas", maxime do Sr. Engenheiro Sócrates!

De Anónimo a 20.03.2008 às 23:35

É a manifestação prática do espirito das "Novas Oportunidades",a maior fraude educativa jamais praticada em Portugal onde o tudo vale mesmo tudo desde que haja diploma no final.A bem da posição portuguesa nas estatisticas da OCDE e da propaganda Só-cretina sobre educação em 2009.

De Anónimo a 21.03.2008 às 00:11

É lamentável, de facto. Mas responda: há quantos anos muitos professores, mesmo muitos, se deixaram de dar ao respeito? Outra pergunta: acha que os professores restabeleceram esse respeito ao virem para a rua insultar, de modo soez, ordinário, a Ministra da Educação? Foi essa a melhor maneira de, pelo exemplo, mostrarem aos estudantes que há hierarquias e que estas devem ser respeitadas? Que nada justifica o insulto à ministra como nada justifica a violência sobre a professora? Este é resultado de 34 anos de incompetência, laxismo, falta de educação e de brio. E, como sabe, a esquerda não esteve sempre no poder.

De Anónimo a 21.03.2008 às 00:28

A grande obreira da desautorização dos professores foi Ana Benavente do governo Guterrez. Já tinha começado no PREC, mas depois foi-se tornando mais subtil e sofisticada.
Apesar do comportamento deplorável da santa criancinha que o filmou e pôs no youtube, se não o tivéssemos visto, provavelmente a professora seria censurada pelo C.Directivo. Sei de casos destes.
Já li também qua a Mãe da adorável criança que berrava pelo telemóvel tentou agredir o Presidente do C.D.
O que dizer disto?

2Bs

De Cecília a 21.03.2008 às 00:30

Já é proíbido levar os telemóveis ligados para as aulas. Acontece que ninguém cumpre e quando há um professor que se atreve a fazê-lo, acontece o que se vê.
O telemóvel serve para tudo. Há testes e quiçá exames que são resolvidos com a ajuda do dito objecto.

De Anónimo a 21.03.2008 às 00:52

muito bem. O lugar da canalha é nas obras. Socrates gritava da sua majestatica tribuna que um dos indices de "confiança " na escola publica é o aumento de alunos que não se verificava há anos.

Deve ser cego:

1- Ele tem os filhos na Escola Privada ( e muito cara) e isso é um sinal de quê?

2 - A classe média , de acordo com uma sondagem que li, tem maior confinaça nas escolas privadas, mas não tem dibheiro para pagar;

3- E por ultimo, o senhor 1º Ministro já se indagou porque ´que há mais gente na escola pública? É que os pais e as familias passam muitas dificuldades e têm muitas vezes de tirar os filhos dos colegios.

Em nota de rodapé, a figura lamentavel dos professores na marcha da "queima da Fitas" na av da liberdade, histéricos e vestidos de preto, com chapéus ridiculos a gritar dislates, é um sinal dos tempos. Como pode haver sinais de autoridade se o que vemos é aquele triste espect´culo.
Pobre país este

De Anónimo a 21.03.2008 às 01:03

"Os portugueses não pagam impostos para assistirem bovinamente a cenas destas. O lugar da canalha não é na escola."

Desgraçadamente pagam para isso. E desgraçadamente é esse o lugar da canalha.

O objectivo é ter excelentes números de sucesso escolar, não é? E afirmar uma e outra vez - com provas de "sucesso" - a tal paixão pela educação (ou será instrução?). Ora esses números são muito mais fáceis de conseguir baixando uma e outra vez os padrões, os graus de exigência.

Se os meninos e as meninas fizerem o que lhes der na real gana na escola e, ainda assim, progredirem paulatinamente pelo ensino, os paizinhos e as mãezinhas - já bem embrutecidos e convictos de que à escola cabe não só a instrução dos seus rebentos como a "educação" dos mesmos (é o Estado que o vai afirmando; além de que os desgraçados progenitores, não a tendo tantas vezes - essa educação -, não a podem nem a sabem ministrar)- pagarão ainda mais bovinamente os seus impostos, agradecidos pela "obra" do Estado (até arrepia o "E" maiúsculo, mas enfim), materializada na alegada excelência da formação das criaturas.

E como estas coisas só se notam, na sua completa desgraça, ao fim de umas dezenas de anos...

Costa

De Habitante de um manicómio chamado Portugal a 21.03.2008 às 01:06

Meu caro amigo,porque razão se indignam as pessoas?
Isto não é novo.Tem sido um processo progressivo de degradação.
A ideia maravilhosa de misturar verdadeiros delinquêntes com alunos respeitadores já tem anos.
Retiram-se os conteúdos para que haja mais aproveitamento e se possa dizer a Bruxelas que estamos a utilizar bem os fundos dos contribuintes europeus.
Conheço engenheiros e contabilistas que não sabem a tabuada.
Há muita aberração nos vários sectores da vida em Portugal que vai sendo ignorada pelos cidadãos e escondida pelos vendedores de banha-da-cobra.

Comentar post

Pág. 1/6

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

  • António Maria

    Completamente de acordo.Ontem tive vergonha de ser...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, «plus ça change, plus c'est la mêm...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor