Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

O país das maravilhas

João Gonçalves 22 Set 12

 

Uma forte dor de garganta reteve-me a contemplar as televisões durante a primeira noite, quente, de Outono. Com o Facebook ligado, aproveitei para "registar" o que ia vendo e ouvindo. Fica aqui por ordem cronológica:

 

 

A anónima Helena Roseta voltou a aparecer na arruaça - chamar vigília a uma arruaça é um tropismo curioso - que decorre em frente ao Palácio de Belém. Com um ridículo capacete bicicleteiro, Roseta falou pelo "nós" da arruaça como se não pertencesse ininterruptamente ao regime desde 1974. Bardamerda.


As televisões, essas extraordinárias "escolas da moral e religião" correctas, conseguem sempre a proeza de se "manifestarem" mais do que qualquer manifestação. É o chamado milagre da multiplicação dos manifestantes no meio de meia dúzia deles, sem grandes planos não vá o espectador ficar com más ideias.


As forças policiais democráticas têm uma paciência notável diante de labregos disfarçados de cidadãos.


O Expresso da meia noite podia decorrer nos jardins de Belém que não se dava pela diferença.


A Dona Flor Pedroso parece estar com saudades dos tempos em que apresentava biografias de "meninos de oiro" exilados em Paris.


Quando Peter Sloterdijk definiu o grosso da comunicação social - pela qual tenho respeito mas jamais temor reverencial - como a "vociferante matilha do espectáculo", nunca esteve tão certo.


O José Adelino Maltez não há meio de largar a Rotunda do 5 de Outubro. Mesmo depois do António Costa ter arranjado duas, ele permanece agarrado intelectualmente ao armamento de 1910 cujo desfecho, como se sabe, foi radioso. É a política enquanto miosótis.


As pessoas que estão no Expresso da meia noite deviam dobrar a língua ao falar do General Ramalho Eanes. Não têm altura para ele.


A Dona F. Pedroso até se louva na D. Heloísa Apolónia e "evidentemente que a remodelação já devia ter acontecido", sic. Como dizem os espanhóis, alimenta os corvos que eles te comerão os olhos.


A forma como o director do Expresso termina invariavelmente o da meia noite, anunciando com gravidade "temos de ir à 1ª página do Expresso", parece que vai lançar uma Fatwa sobre os espectadores, em particular, e sobre o país, em geral.

9 comentários

De Aladdin Sane a 22.09.2012 às 03:43

Está a ser exibido um programa do Professor José Hermano Saraiva na RTP-M.

A falta que homens como ele fazem ao país! Por outro lado, felizmente não tem de assistir à perpetuação desta esquizofrenia.

C'est l'histoire d'une société qui tombe:
http://www.youtube.com/watch?v=9vGPXGTwfaI

De Isabel de Deus a 22.09.2012 às 10:11

A comunicação social e o "brilhante" sistema de ensino que temos vão criando e alimentando monstruosidades populares e políticas que nos envergonham enquanto país. Como deve estar frustrado o meu desde sempre "querido" Mário, ao ver que a plebe não conseguiu mandar para casa mais um tenebroso governo "de direita". Não seria altura de ir cuidar dos netos(ou bisnetos)? Veria que é bem mais digno do que arrastar penosamente em público a senilidade que lhe revela o verdadeiro estofo.Recordo-o na TV
de há talvez trinta anos a concordar com uma cigana que lhe dizia: "O 25 de Abril foi muito bom para os ciganos". Foi mesmo, até metaforicamente...

De Vasco a 22.09.2012 às 10:40

Fez bem em recuar, o Governo. O Governo e Passos Coelho. Ao contrário do que afirmou Ângelo Correia na TV, "salvar a face" não é essencial, nem se traduz em fraqueza. A flexibilidade continua a ser a qualidade principal do PM. Lembremos que o que nos tem tramado são os casmurros, os que estão sempre certos, os que têm a verdade toda do seu lado.

De josé sequeira a 22.09.2012 às 11:03

Regressado do último Woody Allen (aqui um brilhante LIKE), ainda tive tempo de ver a triste figura da arquitecta. Realmente (já começo a ver por mim) a puta da idade é lixada.

Quanto ao Conselho de Estado... enfim, aguardam-se as propostas alternativas, porque as conclusões foram a vacuidade em forma de nada: a da CGTP é bonita: Taxar os dividendos (+10%), com contas e tudo (1600 M€). Não percebo muito do assunto mas tenho as minhas dúvidas. A da UGT parece coisa de miúdos: Queres ir aqui? Não. Queres ir ali? Não. Então e acolá? Também não. Então escolhe tu. Não digo!!

Infelizmente o assunto é muito sério para ser deixado ao critério das arruaças e de tipos, como um que foi entrevistado, e que afirmava estar desempregado "há já 7 anos". Pelo ar anafado que apresentava não me parece que esses 7 anos lhe tenham feito muito mal. O nosso problema é que (também) parece ser igualmente muito sério para a capacidade das sumidades que andam à cabeça disto desde há 38 anos.

De Marão a 22.09.2012 às 14:52

As multidões são mesmo assim. Em todo o caso pode extrair-se uma conclusão a propósito destas movimentações. O que estará fundamentalmente em causa não parece que seja este 1º Ministro, mas todos os governantes que ao longo dos anos se vão sucedendo sucessivamente sem cessar. É de crer que o edifício da nossa organização política esteja a cair de podre, pelo que os redutos partidárias que aí se movimentam em rodízio deviam tomar a iniciativa, ponderar e accionar a partir de dentro uma arejadora reforma. A não ser assim, para não ser exaustivo perguntaria quando é que a sociedade civil se organiza para terminar com o exclusivo ditatorial dos partidos na nossa participação e representação política? Uma nova lei eleitoral que deixe de reduzir a democracia a um casulo de compadrios entre elites banhadas em naftalina. Sem contemplações!

De Mario Krall a 22.09.2012 às 15:16

Apareceu uma jovem na manifestação que disse que a culpa de estar desempregada é do Passos Coelho. Mas quando lhe perguntaram quando perdeu o emprego, disse que foi há três anos. Ora, 2012-3 são mais ou menos 2009, excepto para os "clubes" políticos que não gostam da matemática nem das colunas do deve e do haver. Também entrevistaram uma cidadã anónima que afinal era do POUS . Uma parte desta gente ainda vai clamar pelo imposto de 8% e não tarda, só que ainda não sabem. E também vão pagar os novos impostos de 1% pela posse de imóveis de 1.000.000€.

De Almeida a 22.09.2012 às 15:58

Foi fraco. Desisti. O Sr. Ricardo Costa anda muito enfatuado para o meu gosto.

De Rui Ratão a 22.09.2012 às 18:44

Já se sabe: os protestos só são bons quando servem os nossos interesses.

De Respeitinho a 23.09.2012 às 09:39

Respeitinho, Dr. João Gonçalves. Respeitinho. Muita calma. O momento não é para desvarios.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

  • António Maria

    Completamente de acordo.Ontem tive vergonha de ser...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, «plus ça change, plus c'est la mêm...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor