Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

O frenesim vazio

João Gonçalves 7 Jun 12

 

Ontem calhou ver o programa Prova dos Nove da tvi24. Mesmo na discórdia com ele, acompanhar a inteligência irónica do Medeiros Ferreira é um empreendimento cognitivo indispensável. Tal como apreciar a combatividade polémica do Pedro Santana Lopes, aparentemente "isolado" perante os seus interlocutores mas com uma não desprezível capacidade de "falar" ao telespectador. O pupilar do professor Rosas francamente não me interessa. Vem isto a propósito do texto do Medeiros no Correio da Manhã sobre a selecção que também foi tema no programa da tvi24. Não vale a pena disfarçar. Há um ambiente de mediocridade e de indiferença que rodeia os prolegómenos da exibição dos rapazolas que começa já no sábado contra a Alemanha. Por mais que os OCS, em particular as televisões, se espremam, o Medeiros tem razão. «Nesta fase de preparação, até à partida para a Polónia, houve mais ‘eventos’ do que concentração e treino. O treinador Peseiro teorizou a prática das folgas de Óbidos ao afirmar ontem que, para além da recuperação da forma dos atletas, pouco mais se pode fazer de útil nesses estágios com jogadores dispersos e saturados. Seja. Mas nesse caso, só se devia empregar um preparador físico e um especialista em tédio de grupo…» E Pacheco Pereira também. «A tempestade perfeita do futebol atingiu a SICN e todas as outras emissoras (a começar pela RTP que é suposto ser um "serviço público" e ter uma  programação distinta, mas que é a primeira a passar horas e horas de logomaquia futebolística...) . Por isso, os horários de todos os programas estão generosamente subvertidos.» Valerá a pena este frenesim vazio?

6 comentários

De fado alexandrino a 07.06.2012 às 16:00

Claro que vale.
Enquanto a Tugulândia se entretiver com estes acontecimentos não se dedica a pensar noutras coisas.
Já vem do tempo dos romanos.
Aposto que há muitas pessoas que nem sequer saben que o futebol se joga com onze a fazerem figas para que os briosos ganhem.
E aposto singelo contra mil que se chegarmos à final vão lá estar as maiores figuras da Nação.

De Saturado a 07.06.2012 às 19:01

Em meu entender, a coisa atingiu tal grau de desconchavo que desejo que o "grupio excrucionista" regresse o mais rápido possível.

De manuel.m a 07.06.2012 às 23:50

Se isso acontecer (o que é mais do que provavel ...) teremos a honra de ter sido o único País a ter promovido um pateta a génio e novamente a pateta enquanto o diabo esfrega um olho .

De observador a 08.06.2012 às 11:32

Goste-se ou não, o Futebol é dos poucos campos deste País, em que os resultados tem, e apesar de todas as polémicas, sido consistentes e positivos.

Pode-se dizer que há muito de talento individual, mas criou-se uma estrutura mínima onde estes talentos se puderam desenvolver, com escolas de futebol, empresários empreendedores, e muito chico-espertismo associado.

Mas principalmente, com muitas horas de esforço individual e anónimo, e nunca falado, de aperfeiçoamento desses talentos.

De qualquer modo, eles lá estão a pontuar nos clubes onde jogam, nas revistas cor-de-rosa de eventos onde vão, na ganância dos paparazzi.

Nos outros campos o que temos feito:
- desfalques/roubos em bancos pagos pelo erário público, vulgo nossos impostos;
- Parcerias público-privadas de esbulho dos nossos impostos;
- Processos em tribunal mais duráveis que as piramides, que seraão despachas pelas múmias dos juises;

E mais um role sem fim.
Glorifiquemos pois os nossos jogadores que até pagam os impostos em Portugal (Humbero dix) ...



De Nuno Castelo-Branco a 09.06.2012 às 09:21

vale a pena, até porque estã apagar pela língua e de que maneira!
Quando do "feliz vento2 há 37 anos, berrava-se contra a 2ª República por causa dos três F: Fado, Futebol e Fátima.
Ora, o que temos hoje em dia?
Fado : Marizas, Camanés e Cátias (!) alçadas a património da humanidade, condecorações fadistas no 10 de Junho e Amália no panteão. Bem vistas as coisas, esta última merece mais lá estar do que todos os outros lá encarados para eternidade.

Futebol: abre os telejornais, interrompe-os para a preciosa chegada de Mourinhos, fecha-os com casos de arbitragens, apitos áureos, "casos românticos" que acabam num atirar ao Tejo, ditos e mexericos de Pintos da Costa e Vieiras, almoçaradas em Belém, estádios ruinosos à farta e semi-vazios, etc, etc. Um país com quase 900 anos, reduz-se hoje em dia a uma equipa de futebol.

Fátima: nunca teve tanta gente como hoje em dia e se falavam do namoro Igreja-Estado Novo, o que dizer então daquilo a que temos assistido? O Papa elogia a república do Afonso Costa e os bispos dão-se a ares louçanescos.

Bem feito!

De Nuno Castelo-Branco a 09.06.2012 às 09:29

Ah!, já me tinha esquecido: que tal o "você" do CRonaldo a Cavaco Silva? V-O-C-Ê ? ! "Acham" que nos tempos do Almirante Tomás, seria possível algo deste calibre? Basta passarem a fronteira e verão os futeboleses locais tratarem o Chefe do Estado por Vossa Majestade. Aqui, já nem Vossa Excelência serve? Grotesco, ao que chegámos.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

  • António Maria

    Completamente de acordo.Ontem tive vergonha de ser...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, «plus ça change, plus c'est la mêm...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor