Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

"Corno coxo"

João Gonçalves 7 Fev 13



«Fui hoje à Caixa, Marga, receber
A pensão de reforma.
Coxo e doido, Marga. Muito!
Duro é ser velho, e, então, de ossos a arder?
A minha tíbia engole facas.
Fui hoje à Caixa receber
O troco das pernas fracas.
E lembrei-me de ti, que eras habituée
Lá pela ordem dos trinta, dos cinquenta milhões.
Da formiga à cigarra:
(Iguais ocasiões)
- Que faisiez vous aux temps chaux,
Dit-elle à cette emprunteuse.
Lembrei-me de ti com La Fontaine,
Cigarra, claro, chanteuse.
Formiga fora uma aubaine.
Marga, é tão triste o dinheiro!
Até já o ganhas, como eu,
E andaste coxa, cheia de dores
Tu que o atiravas aos punhados
Como em batalha de flores
Estás como os reformados
À espera dos directores
Mas como ainda és bonita
E há sempre um, pronto aos favores,
Vê bem o que ele te debita
Que descontos te faz
Ê provável que insista
Sabendo-te "petite amie" de um pobre pensionista
A menina bem sabe que há certas coisas que nem mesmo um aperto
(Ai, a minha peminha!)
Cornucópia - corno coxo.»

Vitorino Nemésio, Caderno de Caligraphia e outros Poemas a Marga

Lisboa na ambiguidade

João Gonçalves 7 Fev 13

Pedro Santana Lopes, se bem entendi, vai deixar de ser vereador em Lisboa para "deixar espaço" ao dr. Seara, o actual presidente da CM de Sintra que pretende vir para os Paços do Concelho da capital. Referi há dias que «interessa-me saber o que é que Pedro Santana Lopes, de quem fui apoiante em 2009, pensa disto tudo», onde o "isto tudo" era o desempenho global da CML/Costa, da oposição a Costa e a referida candidatura do edil sintrense. Santana, por consequência, "deixou espaço" aos seus eleitores de 2001 e de 2009 para deixarem respirar o dr. Seara. E, já agora, eles próprios. Fiquei esclarecido.

O que vale um partido?

João Gonçalves 7 Fev 13



«Os partidos políticos vivem hoje atravessados por três dimensões muito distintas: a clubista, a pretoriana e a cidadã. A dimensão clubista, que os vê como claques desportivas, vibrando cegamente, em todas as circunstâncias, contra os adversários. A dimensão pretoriana, que os encara como organismos quase paramilitares, destinados a proteger e a perpetuar o chefe e a sua corte. E a dimensão cidadã, que os concebe como associações de pessoa livres que partilham, de um modo naturalmente controverso, valores idênticos e ambições convergentes para o País. Estas três dimensões existem, em maior ou menos grau, em todo os partidos. Mas só a última, a dimensão cidadã, permite e estimula o debate necessário para a construção de projectos de futuro. É por isso que, nos partidos democráticos, tão ou mais importante que o seu número de militantes é a sua capacidade de, com abertura e competência, estudar e debater a situação do País, os seus problemas e soluções.»

 

Manuel Maria Carrilho, DN

Tags

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

  • António Maria

    Completamente de acordo.Ontem tive vergonha de ser...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, «plus ça change, plus c'est la mêm...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor