Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

DEBATE - 8

João Gonçalves 16 Dez 05

Prossegui, esta noite, a intendência. Acompanhei Soares e Louçã pelo computador, uma facilidade de SIC. Apesar da distância nas idades, os raciocínios e os elogios mútuos foram esclarecedores. Soares ainda assim concorre para Belém. Louçã limita-se a agitar a bandeirinha, sempre com aquela gravitas revolucionária que o caracteriza. Em muitas coisas, são os dois homens que, por circunstâncias várias, mais perto têm estado um do outro. Soares não se atrapalhou com as trapalhadas do PS, mas tem-no colado à pele de uma maneira que ele não imagina. Ninguém percebe como é que ele defende uma coisa e se supôe galvanizador - já está na segunda volta que vagueia na sua cabeça... -, e as notabilidades do partido defendem outra, porventura mais atentas ao previsível desastre. De qualquer forma, tirando a música habitual contra Cavaco, vinda de quem diz não querer falar mais dele e que dele continua a falar todos os dias, Soares esteve bem e terminou melhor. O problema é que não deve chegar.

ATÉ QUANDO?

João Gonçalves 16 Dez 05

O maravihoso "plano tecnológico" já vai no terceiro coordenador. O último esteve apenas um mês. Com o embaraço, escolheu-se um político, Carlos Zorrinho. Eles vão andando e, inexplicavelmente, Manuel Pinho fica, cada vez mais prisioneiro do seu estranho labirinto. Até quando?

COISAS ABSURDAS

João Gonçalves 16 Dez 05

Para ler no Origem das Espécies. "Esta campanha veio trazer um Soares que não merecia ser visto desta maneira, dada a sua importância para o quadro geral da República: obrigado a desmentir-se a si mesmo (em relação a Sócrates, que odiava; em relação à qualidade dos políticos; em relação a África; em relação a Guterres, sobre quem diz coisas ditirâmbicas, a propósito da «estratégia de Lisboa»; em relação ao PS), a falar do que não quer e do que o enfastia, defendido por Jorge Coelho com a ideia absurda da desistência dos outros candidatos de esquerda. Mas a procissão de coisas absurdas vai continuar."

"FAZER AMANHÃ"

João Gonçalves 16 Dez 05


"O que digo hoje é aquilo que quero fazer amanhã. Não pode ser factor de confiança quem hoje diz uma coisa e amanhã faz a contrária. (...) Há uma fixação quase doentia na minha pessoa. (...)Todos os dias me fazem ataques, distorções e mentiras, que são o reconhecimento de que a minha candidatura tem apoio de todos os quadrantes e que os portugueses vêm em mim a pessoa que os pode ajudar a vencer as preocupações quanto ao futuro."

Aveiro, 15.12.05

DEBATE - 7

João Gonçalves 16 Dez 05

Passei o meu serão a tratar de intendência. Por isso, prestei vaga atenção ao debate entre os dois "falsos" candidatos presidenciais. Do que ouvi, julgo que ficou claro, como disse outro dia o José Pacheco Pereira, que ambos disputam apenas a quantidade de bandeirinhas respectivas que são capazes de espalhar pelo país à conta da campanha presidencial. Não disputam a chefia do Estado, discutem o estado dos "espaços" e dos partidos que representam. O debate serviu, de início, para responderem, em acordo, a Jorge Coelho que, na véspera, tinha sugerido a desistência de Alegre, Louçã e Jerónimo para Soares, provavelmente porque Coelho e a direcção do PS já perceberam o que se está a passar. Estes dois também e, por isso, ficam. Que lhes importa?

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

  • António Maria

    Completamente de acordo.Ontem tive vergonha de ser...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, «plus ça change, plus c'est la mêm...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor