Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

LER...

João Gonçalves 1 Set 05

... no Abrupto, "MÁRIO SOARES, JESUS, FINANÇAS E BIBLIOTECAS" e "CORTINA DE FUMO", do Rui Costa Pinto.

O "CENTRO MODERADO"

João Gonçalves 1 Set 05

E foi pelo Francisco que eu reparei nas observações do meu amigo Medeiros Ferreira (MF) acerca do "centro moderado" a que, supostamente, eu e o Paulo Gorjão pertenceríamos. Diz MF que "as suas [nossas] críticas ásperas à candidatura de Mário Soares fazem-[lhe] alguma impressão. Até porque não será Mário Soares a perder o centro. Mas o centro opinativo pode perder-se de Mário Soares." Instado pelo Francisco ("as pessoas do centro» (como o João e o Paulo) (...) não podem perder a oportunidade de perder Mário Soares?"), MF aclarou a sua posição: "há quem pretenda que Mário Soares perdeu, desta vez, o centro, quando me parece que é o centro que pode perder Mário Soares e ficar orfão." De facto, nesta questão de saber "quem perde o quê e para quem", não me parece que o "centro moderado", particularmente aquele que ajudou Sócrates a conquistar uma maioria absoluta que estava "perdida" à "esquerda" (todos os partidos de "esquerda" cresceram em Fevereiro), se reveja por inteiro naquilo a que ontem Soares apelidou de uma "candidatura nacional". Se "o centro pode perder Mário Soares e ficar orfão", como escreve MF, isso quer dizer que o "epicentro" da sua candidatura não é o mesmo de 1985/86, o qual lhe valeu a passagem à 2ª volta e a vitória tangencial. Não me recordo de ter visto ontem no Altis muitos dos que apareceram em Julho de 1985. Aí, Soares que ainda era primeiro-ministro, estava praticamente sozinho. Eu sei porque estava lá e tenho uma "memória de elefante". Agora vi, nas televisões, o PS "profundo", algumas notabilidades do governo, uns representantes "oficiosos" do regime e outros que o querem ser, e a corte "independente" privativa do dr. Soares, incluindo Fernando Rosas. Naquela altura, como já o disse, Soares representava, pela sua história, pela sua determinação e pela sua "coragem serena", a defesa "moderada" dos equilíbrios políticos contra alguma imaturidade ainda latente do "regime". Em 2006, uma terceira candidatura, nos termos em que foi gerada e desenvolvida, não vem "equilibrar" nada. Soares demonstrou ontem o seu real desprezo pelas presentes tensões políticas, económicas e sociais que atingem o país e o mundo, iludindo-as sob o manto diáfano do "optimismo antropológico", e prometendo-nos cinco anos de verdadeira "música no coração". Por mais generoso que seja este "irrealismo", não creio que o "centro moderado" se reveja nele ou que esteja interessado em se "perder" por lá . Eu acho - mas posso estar errado - que quem se "perdeu" definitivamente do "centro moderado", foi M. Soares. E é pena.

A VANGUARDA- 2

João Gonçalves 1 Set 05

Vital Moreira continua imparável na sua "cruzada" primitiva, estilo "Vasco Graça Moura ao contrário", contra Cavaco Silva. Do alto da sua cátedra na província e dando mostras de uma espécie de racismo intelectual que lhe fica bastante mal, o professor espremeu-se e esmerou-se. Cavaco Silva, visto a partir de Coimbra, e por oposição ao "cosmopolitismo, cultura e espírito humanista" de Soares, é, nem mais nem menos, do que um género caseiro do "ogre" a quem "falta dimensão internacional", que tem "estreiteza cultural" e que revela um "espírito economicista". Convém lembrar ao ilustre Mestre que, apesar de todos os ódios de "classe" e de todos os derrames elitistas vomitados para cima de Cavaco desde que ele emergiu na vida pública portuguesa, a criatura "arrancou" duas bem expressivas maiorias absolutas e obteve, num momento de profundo desgaste, quarenta e seis por cento dos votos na disputa com Sampaio, há dez anos. Ou seja, os portugueses nunca se sentiram particularmente incomodados com a "falta" de "qualidades" de Cavaco que tanto perturba Vital e outros epígonos menores do "soarismo", da "esquerda" e do "neoliberalismo". Entre outras coisas - mais substantivas e de menos mau-gosto - será esta arrogância saloiamente convencida que os perderá.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

  • António Maria

    Completamente de acordo.Ontem tive vergonha de ser...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, «plus ça change, plus c'est la mêm...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor