Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

LER OS OUTROS

João Gonçalves 5 Abr 05

Faulkner

J.M Coetzee na New York Review of Books, The Making of William Faulkner.

TENTAR PERCEBER

João Gonçalves 5 Abr 05

Alguma blogosfera "militante" sofreu um súbito ataque de "laicidade" moralista por ocasião do passamento de João Paulo II, da mesma forma que podia ter tido uma crise de hemorroidal. Eu assento as minhas convicções "societárias", entre outros, no princípio da separação do Estado das confissões religiosas. Acontece que tento perceber o "lado" da igreja, particularmente da representada até agora por Karol Wotjyla, mesmo ou sobretudo quando não concordo com ela. Nada disto preocupa verdadeiramente os nossos parodiantes do "politicamente correcto". Prefeririam eles, por exemplo, ver o Papa a lançar preservativos pelas janelas do Vaticano ou D. José Policarpo a deslocar-se a Roma numa carreira da Rodarte? À realidade, mesmo a mais discutível e polémica - eles sabem lá o que é uma polémica -, hão-de sempre preferir o circo.

A SERVIDORA

João Gonçalves 5 Abr 05

O Jumento, remetendo para outro blogue e para a revista Actual do Expresso, fala-nos do estado aparentemente caótico em que se encontra o Instituto Camões, dirigido pela sublime Simonetta Luz Afonso. Diz-se ali, com manifesta candura, que existe "informação mais do que suficiente para demitir a presidente daquele Instituto". Pura ilusão. Acontece que Simonetta não tem nada de burra. Tem aliás "elasticidade" suficente para aguentar qualquer "estação". Não lhe faltam amizades em qualquer das virtuosas "casas" políticas que, uma vez uma, outra vez outra, nos pastoreiam. Um dia, no Coliseu, num remake dos Estados Gerais do eng. º Guterres - ela que, por sinal, já vinha "de trás" -, quando a jornalista lhe perguntou o que é que estava ali a fazer, Simonetta explicou tranquilamente que, uma vez que era "funcionária pública", estava, muito naturalmente, junto de quem mandava. Aplicou-se, com método e dedicação, a desenvolver o mesmo princípio após o sumiço do referido engenheiro. Suponho que é assim que vai continuar. E suponho que é assim que a vão deixar continuar, ali ou noutro sítio qualquer. É que existe uma enorme diferença entre o servidor público e o servil público. Isso percebe-se. Até um burro o entende.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

  • António Maria

    Completamente de acordo.Ontem tive vergonha de ser...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, «plus ça change, plus c'est la mêm...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor