Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

LER OS OUTROS

João Gonçalves 27 Fev 05

O texto de Gabriel Silva no Blasfémias sobre o desaparecimento do fundador da Amnistia Internacional, Thank you.

TRABALHAR EM CASA

João Gonçalves 27 Fev 05

A SIC passou uma reportagem acerca dos juízes conselheiros do Supremo Tribunal de Justiça. Por estes dias, as venerandas criaturas vão eleger o seu presidente, a "quarta figura" do Estado português. Quem prestou atenção à peça televisiva, há-de ter reparado que tudo se passava entre o eixo Santa Apolónia-Praça do Comércio, ou seja, no meio da rua. É verdade. Os nossos conselheiros - para quem não saiba - são quase todos oriundos do "centro" e do "norte" do país. Parece que só da solene Coimbra para cima se está efectivamente à altura da gravidade da função. Como tal, estes homens viajam interminavelmente de comboio onde, aliás, são facilmente reconhecidos pelas "conversas" - sempre as mesmas - que mantém entre si. Para além disso, trabalham em casa. Nada como o recato e o silêncio do lar para decidir definitivamente da vida de qualquer um. Na reportagem, foram todos "apanhados" a sair do comboio para uma amável carrinha que os conduz até ao Supremo para a reunião, presumo que semanal. Não imagino o que terão pensado desta reportagem os trabalhadores por conta de outrem que se têm de levantar às seis, sete ou, como alguma generosidade, às oito da manhã para irem ocupar o seu posto de trabalho. Porventura a maior parte ignorará que é do "trabalho de casa" daqueles senhores que tantas vezes sai o "destino" das suas vidas. A magistratura, apesar de existir para "dizer o direito", isto é, aquilo que "deve ser" numa banal situação da "vida material", tem o seu limbo muito próprio. Tudo, afinal, se pode decidir no quentinho do lar ou num corredor do "Alfa Pendular". Se eu, por exemplo, quiser ficar em casa a fazer um relatório ou mesmo a pensar- já que também sou jurista, servidor da "causa pública" e pago para "pensar"-, acontece que... não posso ficar. Seria, no mínimo, considerado uma extravagância. Pois é. Quando eu for grande também quero ser conselheiro.

MUDAR DE VIDA...

João Gonçalves 27 Fev 05

... um lema assumidamente egoísta para os próximos tempos, ao som e à letra do saudoso iconoclasta António Variações, "revisto" e revivido pelos Humanos em disco. Estou mais velho mas ainda não estou acabado.

Muda de vida se tu não vives satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de
Mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se há vida em ti a latejar

Ver-te sorrir eu nunca te vi
E a cantar, eu nunca te ouvi
Será de ti ou pensas que tens...que ser
assim?...

Muda de vida se tu não vives satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de
mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se há vida em ti a latejar

Ver-te sorrir eu nunca te vi
E a cantar, eu nunca te ouvi
Será de ti ou pensas que tens... que ser
assim?...

Olha que a vida não, não é nem deve ser
Como um castigo que tu terás que viver

Muda de vida se tu não vives satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de
mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se há vida em ti a latejar
"



CRIME E CASTIGO

João Gonçalves 27 Fev 05

Ouvi no carro - "apanha-se" muita coisa em viagem - que o dr. Santana Lopes solicitou ao conselho de jurisdição nacional do PSD que "clarificasse" doutrina sobre o "comportamento" de militantes que terão "atacado" o partido na última campanha. Em "Clarificar Doutrina", o Bloguítica é mais específico e diz praticamente tudo. Santana Lopes pertence ao vasto grupo daquelas pessoas cegas, surdas e mudas à realidade. É uma espécie de primário que não aprende nem esquece nada. Passa a vida em revolta com um mundo imaginário que não compreende a grandiosidade do seu umbigo. As nódoas políticas e humanas que colocou à sua volta completam este exercício narcísico totalmente vazio. O conselho de jurisdição nacional devia antes firmar "doutrina" que impedisse futuramente a ascensão partidária de gente como esta. Ao mesmo tempo podia meditar acerca do que aconteceu ao partido precisamente por causa desta gente. Se Lopes e a sua patética corte se olharem ao espelho, vão rapidamente descobrir quem verdadeiramente "atacou" o partido e o diminuiu. Do lado deles está o "crime" e o "castigo". Nada mais.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

  • António Maria

    Completamente de acordo.Ontem tive vergonha de ser...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, «plus ça change, plus c'est la mêm...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor