Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

portugal dos pequeninos

Um blog de João Gonçalves MENU

INTIMAÇÕES DE MORTALIDADE

João Gonçalves 29 Set 09


Mário Soares nunca revelou, enquanto PR, estados de alma sobre o PS. Soares sabia que em política não existem estados de alma e, quando se esquecia disso, logo alguém, lá em Belém, lho recordava. Isso não o impediu, com método e zelo, de "conspirar" para remover Constâncio, para diminuir Sampaio e para só "puxar" por Guterres quando percebeu que ele ia ganhar. Mesmo assim não o poupou ao famoso congresso da FIL. Sampaio, após alguma hesitação, foi aconselhado a demitir Santana quando lhe garantiram que o partido "estava pronto". O resto é conhecido sobretudo o que certas pessoas, avidamente, fizeram contra o Cavaco de São Bento nos idos de Soares. Cavaco, o PR, convenceu-se que o seu profissionalismo e seriedade bastavam e que não era preciso a porca da política para nada em Belém. Com uma Casa Civil deficitária nesta área (e com ela superavitária cá fora, no governo, na corte do 1º ministro ou nos papagaios dos media e demais vendilhões do templo como acabou por reconhecer), Cavaco decidiu revelar estados de alma. Ora de um Chefe de Estado não se espera intimações de mortalidade para partilhar, à lareira, com o "povo". Espera-se dele decisões políticas. As mais elevadas.

23 comentários

De Carlos Duarte a 29.09.2009 às 21:16

Caro João Gonçalves,

Não concordo consigo. O que eu assisti foi a uma declaração do PR ao actual PM a dizer, de forma bem "clara", que quem manda é ele. Ou, se quiser como já vi escrito noutros lados, foi uma declaração de guerra.

Este (o futuro) governo tem os dias contados.

Foi pena a MFL ser uma vítima de um jogo que não era dela... mas o facto de não se ter pronunciado NUNCA sobre as escutas indica - pelo menos para mim - que sabia o que se passava.

De Mani Pulite a 29.09.2009 às 21:21

CAVACO PRECISA URGENTEMENTE DE UMA BRIGADA POLÍTICA DE CHOQUE EM BELÉM.EM TEMPO DE GUERRA SÃO NECESSÁRIOS COMBATENTES E NÃO BETOS E TIAS.

De Xico a 29.09.2009 às 21:27

Haverá alguém a assessorar o Presidente, para que ele não tivesse de fazer uma declaração tão incompetente? Será que Cavaco está só em Belém com o cozinheiro e a governanta?

De Daniela Major a 29.09.2009 às 21:29

Concordo com o Carlos Duarte. Com esta declaração Cavaco pôs o PS em cheque. No fundo, o Presidente ao "abrir a alma" ou seja o que for, fez um pouco o papel de vítima, atirando subtilmente ou não, a responsabilidade para o PS

De Aires Vilela a 29.09.2009 às 21:32

Depois de ver na RTP dois energúmenos, ditos jornalistas, insultarem o Presidente da República, o mínimo que se pode exigir das pessoas decentes é que não contribuam para esse indigno peditório.

De Karocha a 29.09.2009 às 21:36

JG

Também concordo com o Carlos Duarte.

De ciclópico a 29.09.2009 às 21:36

Já começou a "incompreensão" dos analistas (cf. análise imbecil e vergonhosa na RTP) em relação ao discurso do Presidente...

Que limitados: o Presidente não se limitou ao discurso inócuo que pretendiam. Azar.

De FranciscoB a 29.09.2009 às 21:37

Qd é no futebol que há corrupção, ninguém liga...

Escutas?? Isso não serve de prova...

Entretanro a máfia está legalizada...

Agora aturem-nos por mais uns anitos...

De Anónimo a 29.09.2009 às 21:49

O painel da RTP 1 era muito engraçado e independente: O Marcelino e um Marcelinito. Um diz mata e outro diz esfola: era o Cocó, o Ranheta e o Facada (o locutor). Enfim ... que fazer?

De Eduardo a 29.09.2009 às 21:52

A imbecilidade de muitos "analistas" e "jornalistas" não os levou a pensar na possibilidade de uma comunicação do PR com um tom e clareza pouco habituais.

Pacheco Pereira aqui (http://abrupto.blogspot.com/2009/09/como-nestas-coisas-ha-sempre-muito.html) fornece a sua leitura com a qual concordo por inteiro.

Comentar post

Pág. 1/3

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

  • André

    Gosto muito da sua posição. Também gosto de ami...

  • Maria

    Não. O Prof. Marcelo tem percorrido este tempo co...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, no meio da abundante desregulação ...

  • António Maria

    Completamente de acordo.Ontem tive vergonha de ser...

  • Fernando Ferreira

    Caríssimo João, «plus ça change, plus c'est la mêm...

Os livros

Sobre o autor

foto do autor